publicidade
22/09/19
Brenda Alcântara/JC Imagem
Brenda Alcântara/JC Imagem

Náutico está na final da Série C do Campeonato Brasileiro

22 / set
Publicado por Luana Ponsoni em Náutico às 20:27

Mais um vez nos pênaltis, o Náutico conseguiu avançar um mata-mata da Série C do Campeonato Brasileiro. Depois de vencer o Juventude por 4×3 na noite deste domingo (22), o Timbu está na final da Terceirona. A conquista da vaga é a concretização parcial da segunda meta dos alvirrubros este ano. Após garantir o acesso à Série B, o técnico Gilmar Dal Pozzo quer agora o título da Terceirona. Jefferson voltou a ser um dos heróis do time ao defender novamente um pênalti, assim como Matheus Carvalho, que converteu o dele, dando números finais às cobranças.

Na decisão, o Náutico enfrenta o Sampaio Correa. As partidas de ida e volta ainda não têm datas definidas, mas o time maranhense tem a vantagem de decidir em casa.

O JOGO

Precisando do resultado, o Náutico começou o duelo com postura muito vertical. Antes dos cinco primeiros minutos, conseguiu construir duas jogadas e teve uma finalização de longa distância. Primeiro em contra-ataque puxado por Wallace Pernambucano, que foi freado por Marcelo Carné. Depois em lançamento de Jean Carlos para Álvaro. Mas o camisa 7 não conseguiu tirar do arqueiro rival para finalizar. Na sequência o próprio Jean Carlos encheu o pé do “meio da rua”, mas a bola passou à esquerda de Carné.

LEIA MAIS

> Jogadores do Náutico celebram classificação para a final da Série C

> Ouça os gols da classificação do Náutico nas ondas da Rádio Jornal

> Vice do Náutico na bronca com PM: “Não precisa vir fazer o próximo jogo”

Com menos posse de bola, o Juventude aproveitava todas as oportunidades possíveis para pressionar. Jefferson, porém, ia bem. E voltou a aparecer de forma positiva aos 12, quando saiu do gol para frear arrancada de Poveda. Quatro minutos depois, os esforços do Náutico foram recompensados. Aos 16, Hereda fez belo lançamento para Álvaro, que inaugurou o placar nos Aflito. Logo depois do gol, susto para os alvirrubros. Após entrada dura de Diego em Rafael Bastos dentro da área, o juiz assinalou pênalti para o Juventude. Na cobrança de Eltinho mandou a bola foi na trave.

Ainda em vantagem no marcador, o Náutico continuou buscando o segundo gol. Aos 22, William Simões puxou contra-ataque e foi derrubado na entrada da área. Wallace Pernambucano foi para a cobrança e mandou no canto esquerdo de Marcelo Carné, que espalmou para o lado.

Aos 30 o Timbu começou a trilhar o caminho do segundo gol. De muito longe, Jean Carlos cobrou falta, obrigando o goleiro do Juventude a se desdobrar para colocar para escanteio. O próprio camisa 10 foi para a cobrança e, mais uma vez, deixou na medida para Álvaro empurrar para o fundo das redes, ampliando para o Náutico.

Abatido pela perda do pênalti e por ter levado o segundo gol, o Juventude demorou para se reencontrar no jogo. Seguiu abatido e, apenas no final do primeiro tempo, voltou a ameaçar a meta alvirrubra, com Rafael Bastos. O jogador foi calçado por Josa dentro da área, mas o árbitro não viu, evitando um segundo pênalti para o time gaúcho na partida.

O segundo tempo começou com o Juventude querendo buscar o resultado. Antes dos dois minutos, Sidimar aproveitou lançamento na área e cabeceou com perigo para grande defesa de Jefferson. A resposta do Náutico veio aos 3 minutos com excelente cruzamento de Hereda, que deixou na cabeça de Mailson. Mas a zaga do Juventude fez o corte quase em cima da linha. E foi só. O Timbu seguiu praticamente por todo o segundo tempo sem atacar, sentido a ausência de Jean Carlos. Lesionado, o camisa 10 foi substituído por Mailson.

A partir dos 15 minutos, os alvirrubros viveram momento complicado na partida. Depois de erro da defesa, Breno ficou com a bola e arriscou para defesa de Jefferson. O camisa 11 volta a dar trabalho ao arqueiro alvirrubro no minuto seguinte. Depois de receber dentro da área, ele fez o giro e finalizou, mas Jefferson fechou o gol novamente. O Náutico passou a sofrer muita pressão, ficando retraído, enquanto o Juventude passou a ditar o ritmo da partida.

Na tentativa de melhorar o setor de criação, Gilmar Dal Pozzo tirou Wallace e colocou Jimenez. Por outro lado, o Juventude perdeu Aprile, que estava desempenhando essa função para os gaúchos, por lesão. Ainda assim, conseguiu chegar ao gol. Aos 33, Genilson aproveitou bola levantada na área e cabeceou sem chances para o goleiro alvirrubro. Náutico 2×1 Juventude.

Dois minutos depois, o Timbu quase fez o terceiro com Álvaro, que encobriu Carné e Vidal tirou quase em cima da linha. O Juventude revidou com Breno. Cara a cara com Jefferson, ele finalizou para mais uma defesa do goleiro. Aos 90 Jefferson Nem ainda mandou uma bola na trave, mas não conseguiu evitar que a decisão da vaga na final fosse para a disputa de pênaltis.

Nas cobranças, Eltinho, Genilson e Braian Rodríguez converteram para o Juventude, enquanto Dener e Dalberto perderam. Já do lado alvirrubro, Jiménez, Josa, Mailson e Matheus Carvalho mandaram para o fundo das redes. Álvaro, por sua vez, escorregou e acabou isolando.

FICHA DO JOGO – NÁUTICO 2 (4) X 1 (3) JUVENTUDE

Náutico – Jefferson; Hereda, Rafael Ribeiro, Diego e William Simões; Josa, Jonnathann (Jefferson Nem) e Jean Carlos (Maylson); Álvaro, Matheus Carvalho e Wallace Pernambucano (Jimenez). Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

Juventude – Marcelo Carné; Vidal, Genilson, Sidimar e João Paulo; Eltinho, John Lennon, Aprile (Dener) e Dalberto; Rafael Bastos (Braian Rodríguez) e Gabriel Proveda (Breno). Técnico: Leandro Fahel.

Local: estádio dos Aflitos. Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC). Assistentes: Helton Nunes e Éder Alexandre (ambos de SC). Cartões Amarelos: Diego, Sidimar, Rafael Bastos, Breno e Matheus Carvalho. Gols: Álvaro aos 16′ e 31′ do 1º tempo; Genilson aos 33′ do 2º tempo. Público: 13.084 torcedores. Renda: R$ 249.109,00.


FECHAR