publicidade
22/09/19
Foto: Divulgação / Fortaleza
Foto: Divulgação / Fortaleza

Copa do Nordeste mais turbinada em 2020

22 / set
Publicado por Diego Borges em Notícias às 12:34

Mais competitiva, atrativa e com audiência consolidada. A edição 2020 da Copa do Nordeste será um marco no futebol da região. Pela primeira vez desde 2002, a competição voltará a reunir o G7 dos maiores clubes do Nordeste, com a volta do Sport ao certame, junto a Náutico e Santa Cruz, Bahia e Vitória, além de Ceará e Fortaleza. O sorteio da fase de grupos acontecerá na quinta-feira (26), em Aracaju, com apresentação da jornalista Anne Barretto, da TV Jornal, e do narrador Nivaldo Pietro, da Fox Sports.

A fórmula da competição será a mesma da edição 2019, com dois grupos divididos de acordo com a rivalidade estadual, reforçando o Nordestão como a Copa dos grandes clássicos. “A tendência no ano que vem é que a gente tenha mais clássicos regionais e torne ainda mais forte a competição”, projeta Vladimir Melo, diretor comercial do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação.

Para isso, a volta do Sport foi um passo fundamental por devolver ao torneio um dos seus maiores campeões. “O Sport é um time grande, uma força do Nordeste. O próprio clube hoje reconhece como fundamental a presença, não apenas pelas cotas, que tem valores bastante atrativos, mas também pela renda, pelo público no estádio e o sentimento de pertencimento do torcedor, que gosta da Copa do Nordeste. É o principal torneio de futebol da região”, reforça Vladimir.

LEIA MAIS

> Sucesso da Copa do Nordeste em pauta na Rádio Jornal

> Copa do Nordeste se firma na TV Jornal e projeta crescimento em 2020

> Sport perde espaço em ranking histórico da Copa do Nordeste

De fato, os valores não representam o único atrativo para a competição, porém serão substanciais aos clubes. Em 2019, as cotas de TV aberta (SBT e afiliadas do Nordeste) e TV fechada (Fox Sports) somaram juntas R$ 31,4 milhões, além das receitas com publicidade em prismas no gramado e no repasse do pay-per-view. Para 2020, a renovação do contrato de transmissão, estendido até 2022, tornará a verba ainda mais robusta que a deste ano para os cofres dos clubes.

Outro fator que aponta para uma melhoria nos investimentos dos clubes para a competição é o posicionamento das equipes no cenário nacional. A possibilidade de manter quatro clubes na Série A e ter outros seis na Série B com os acessos de Confiança, Náutico e Sampaio Corrêa elevam o nível financeiro e técnico da competição. Além disso, todos os demais participantes disputarão ou a Série C ou a D nacional.

MAIS DATAS EM JOGO

Ainda além na busca por maior atratividade, a Copa do Nordeste pode ganhar mais duas datas e partir de 12 para 14. Com isso, quartas de final e semifinal podem ganhar jogos de ida e volta, como hoje acontece apenas na decisão.

A expansão da quantidade de jogos pode gerar maiores índices de audiência por se tratar de jogos decisivos. Só na transmissão da partida entre Fortaleza e Santa Cruz, na semifinal de 2019, a TV Jornal obteve pico de audiência de 540 mil espectadores, com o total de 32 horas de exibição para a capital pernambucana em toda a competição.

Além disso, mais jogos também deve incrementar o acréscimo do público nos estádios, tal qual em 2019, quando a Copa do Nordeste atingiu média de público de 7,4 mil torcedores por partida, superior no primeiro semestre aos números da Copa do Brasil, que obteve 6,2 mil torcedores por jogo, e à média de todos os estaduais disputados no Nordeste.

MAIS INVESTIMENTOS

O sucesso de público e visibilidade ainda reflete em novos investimentos na transmissão também para as categorias de base, fundamental para os clubes locais. A quinta edição da Copa do Nordeste Sub-20, que será disputada em Aracaju no próximo mês de dezembro, pode ter jogos exibidos na TV Jornal.

Também o aplicativo de bolão da Copa do Nordeste receberá um investimento maior. “O aplicativo ficará mais forte, não apenas pelo número de downloads que tivemos, mas pelas novidades para 2020, atrativos com premiações que movimentarão as torcidas nordestinas, com muita rivalidade e a tradicional resenha que o futebol proporciona”, completa o diretor Vladimir Melo.


FECHAR