publicidade
19/09/19
Diógenes Braga afirmou que clube e entidades vão entrar com mandado de segurança. Foto: Léo Motta/JC Imagem
Diógenes Braga afirmou que clube e entidades vão entrar com mandado de segurança. Foto: Léo Motta/JC Imagem

Náutico, FPF e CBF vão solicitar retorno do jogo para dia original

19 / set
Publicado por Karoline Albuquerque em Náutico às 20:08

A Justiça concedeu a tutela provisória, a CBF publicou alteração na data, mas o jogo entre Náutico e Juventude ainda não tem definição. Depois de ter o adiamento confirmado pela entidade máxima do futebol nacional para a segunda-feira (23), o vice-presidente alvirrubro Diógenes Braga afirmou que o clube, junto à CBF e Federação Pernambucana de Futebol (FPF), vão tentar voltar o jogo para o domingo (22).

“Amanhã (sexta-feira, 20) pela manhã, a gente está entrando com um mandado de segurança conjunto, entre CBF, FPF e Náutico para o jogo voltar para o horário original”, disse o vice-presidente do Timbu, em entrevista ao Blog do Torcedor, na noite desta quinta-feira (19).

LEIA MAIS:

>CBF publica alteração na data de Náutico x Juventude

>Justiça atende pedido do MP e adia partida entre Náutico e Juventude

>Opinião: Dal Pozzo mostra confiança no prosseguimento do trabalho no Náutico

A mudança de data, até agora, aconteceu por um pedido da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE). Além da partida válida pela semifinal da Série C do Campeonato Brasileiro, o domingo tem um show internacional da banda de rock Bon Jovi, no estádio do Arruda. A corporação alegou que o efetivo é insuficiente para cobrir os dois eventos e acionou o Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Já o MPPE marcou uma reunião com PM, clube e as entidades, mas não houve um acordo e tanto CBF como FPF não compareceram, nem justificaram. Por isso, o Ministério Público acionou a Justiça solicitando a tutela provisória de urgência para adiar a data do jogo. De acordo com o promotor de justiça do torcedor Alfredo Pinheiro, em entrevista à Radio Jornal, a comunicação formal de pedido de apoio para a partida não tinha acontecido até a quarta-feira (18), dia da reunião.

A justificativa da Polícia Militar quanto à demanda de agentes para cobrir os eventos surpreende o vice-presidente do Náutico. “Eu fico muito preocupado com o que aconteceu, porque se o efetivo não é suficiente para um show no Arruda e um jogo nos Aflitos, fico com medo de não poder ter carnaval ano que vem no Recife”, completou Diógenes Braga.


FECHAR