publicidade
17/09/19
Timbu usou Aflitos como força no acesso. Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Timbu usou Aflitos como força no acesso. Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem

Náutico aposta na força dos Aflitos para reverter desvantagem contra o Juventude

17 / set
Publicado por Fernando Castro em Náutico às 10:41

O Náutico saiu atrás na disputa por uma inédita vaga na final da Série C. Depois de ser derrotado para o Juventude por 2×1, no primeiro jogo da semifinal, em Caxias do Sul, a equipe comandada pelo técnico Gilmar Dal Pozzo aposta agora na força do estádio dos Aflitos para conseguir inverter o resultado negativo. O dramático jogo que garantiu ao clube o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro, contra o Paysandu, é exemplo para os alvirrubros.

“É um jogo que está em aberto. Contra o Paysandu estávamos perdendo por 2×0 e tínhamos menos de 40 minutos para reverter um placar e buscamos o 2×2 porque essa é uma equipe que não se entrega. E dessa forma que vamos trabalhar essa semana. Falei para eles que é preciso se orgulhar da partida que nós fizemos. Além disso o nosso torcedor também faz a diferença. Mas claro, temos que jogar futebol. Não é só o fato de jogar em casa que vamos ter qualquer tipo de vantagem. É preciso ter desempenho”, comentou Gilmar Dal Pozzo.

LEIA MAIS

>STJD deve julgar na sexta impugnação do jogo entre Náutico x Paysandu

>Antes da decisão contra o Náutico, técnico Marquinhos Santos deixa o Juventude

>Náutico confiante em vaga na final da Série C, apesar de derrota em Caxias do Sul

Para conseguir a classificação no tempo regulamentar da partida, o Náutico precisa vencer o Juventude por dois gols de diferença. Caso o time alvirrubro consiga uma vitória simples, por um gol de diferença, a vaga na final da Série C vai ser decidida nas penalidades, já que o gol marcado fora de casa não é critério de desempate. “Temos que ser fatal, criar. O primeiro passo é ter desempenho. Falo a palavra merecimento. Fazer por merecer, jogar futebol, marcando o adversário”, disse o técnico alvirrubro.

Sob o comando de Gilmar Dal Pozzo, o Náutico ainda não perdeu como mandante e tem números positivos dentro do caldeirão. Em nove partidas, foram seis vitórias e três empates. O torcedor alvirrubro também tem feito a diferença nos Aflitos, especialmente nos últimos jogos, quando o clube atingiu uma média de público superior a dez mil pessoas nas partidas contra Treze, Confiança, Santa Cruz e Paysandu.

Apesar de lamentar as chances desperdiçadas em Caxias do Sul, Dal Pozzo se mostrou confiante na classificação e citou o espírito de decisão do time. Depois da derrota no jogo de ida, a delegação alvirrubra chegou de viagem ontem e o elenco se reapresenta hoje de tarde no CT Wilson Campos para iniciar os trabalhos.

“Quando a gente criar as oportunidades temos que definir. É com esse espírito. E lapidando algumas jogadas, temos essa semana para trabalhar. Por exemplo, a jogada ensaiada que estávamos fazendo há algum tempo, três ou quatro meses, ela saiu, mas acabaram tirando. Matheus (Carvalho) cruzou, onde poderia ter finalizado. Temos que ter objetividade na hora da finalização”, destacou Dal Pozzo.

JUVENTUDE

Se por um lado o Náutico tem dentro de casa a sua força, por outro o Juventude não tem um aproveitamento muito bom longe de seus domínios. Em dez partidas disputadas fora de casa, venceu apenas duas, empatou outras cinco e perdeu três vezes. Para a decisão, a equipe gaúcha perdeu duas peças importantes. O treinador Marquinhos Santos foi anunciado como novo técnico da Chapecoense e o meia Renato Cajá acertou com a Ponte Preta.


FECHAR