publicidade
16/09/19
Náutico venceu o Paysandu nos pênaltis após empate por 2x2 no tempo normal. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Náutico venceu o Paysandu nos pênaltis após empate por 2x2 no tempo normal. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

STJD deve julgar na sexta impugnação do jogo entre Náutico x Paysandu

16 / set
Publicado por Fernando Castro em Náutico às 19:30

Depois de determinar a não homologação da partida entre Náutico e Paysandu, válida pelas quartas de final da Série C, na última sexta-feira (13), o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) deve julgar o pedido de impugnação nesta sexta-feira (20). O clube pernambucano tem até esta terça-feira (17) para se manifestar e elaborar a defesa sobre o caso. O corpo jurídico alvirrubro segue confiante quanto aos trâmites do processo.

“A elaboração da defesa do Náutico está em curso e a gente vai apresentar ela amanhã. Nós estamos confiantes de que as chances disso prosperar são mínimas, porque não tem direito, não tem suporte. Depois da defesa do Náutico, a Procuradoria tem um prazo de dois dias, até quinta-feira, para responder e aí esse julgamento deve ocorrer logo, de forma célere, em um tempo subsequente”, afirmou Roberto Selva, advogado do clube.

LEIA MAIS

>Antes da decisão contra o Náutico, técnico Marquinhos Santos deixa o Juventude

>Náutico confiante em vaga na final da Série C, apesar de derrota em Caxias do Sul

>Matheus Carvalho aponta razão da derrota do Náutico no 1º jogo contra Juventude

APOIO DA FPF

Em apoio ao Náutico, a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) contratou o advogado Paulo Schmitt, que foi durante dez anos procurador-geral do STJD, para participar do julgamento. Assim como a defesa do corpo jurídico alvirrubro, a FPF se baseia nas legislações do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) e da FIFA para se manter confiante no caso.

“Nós contratamos Paulo Schmitt, que é o maior jurista da área, foi durante anos do STJD. Contratamos ele para defender não o Náutico, mas a legislação o CBJD e FIFA, que dizem que não se pode alterar resultado de jogo por julgamento. Então nós tomamos essas providências e o Náutico está fazendo a defesa dele do processo também, para a gente não correr riscos”, comentou Evandro Carvalho, presidente da FPF.

O CASO

O Paysandu contesta o pênalti marcado a favor do Náutico pelo árbitro Leandro Pedro Vuaden, aos 49 minutos do segundo tempo. O time alvirrubro converteu a penalidade e empatou a partida, levando a decisão para as cobranças de pênaltis. Nos tiros livres, o Timbu venceu por 5×3 e garantiu o acesso à Série B. No último domingo (15), o Náutico disputou a primeira partida da semifinal e foi derrotado para o Juventude, por 2×1. O jogo de volta está marcado para o próximo domingo, no estádio dos Aflitos.


FECHAR