publicidade
21/08/19
LDC tem difícil missão diante do Boca pela Libertadores. Foto: Divulgação
LDC tem difícil missão diante do Boca pela Libertadores. Foto: Divulgação

LDU e Boca se enfrentam na altitude pelas quartas de final da Liberta

21 / ago
Publicado por Davi Saboya em Notícias às 13:09

A LDU, o único time equatoriano que conquistou a Copa Libertadores, vai receber nesta quarta-feira o Boca Juniors, seis vezes campeão do torneio, em uma partida de grande expectativa pela ida das quartas de final.

A campanha da ‘U’ reacende a esperança de sua torcida por um novo título, já que voltou a alcançar esta fase depois de onze anos. Em 2008 eliminou o também argentino San Lorenzo nas quartas de final e seguiu a trajetória rumo a seu primeiro título internacional, que foi seguido pelas conquistas da Sul-Americana de 2009 e da Recopa Sul-Americana em 2009 e 2010.

O jogo contra o poderoso clube de Buenos Aires, uma das potências do continente, fez com que as ingressos, com preços que variam de 30 a 45 dólares, se esgotassem. O estádio, localizado no norte de Quito tem capacidade para cerca de 40 mil pessoas.

REFORÇOS

O que não faltam são motivações para esse jogo de ida. Cada equipe conta com recentes contratações que sacudiram o mercado de transferências de cada país.

O Boca contratou o volante italiano Daniele De Rossi (ex-Roma), que já se tornou ídolo da torcida com apenas duas partidas disputadas.

A LDU já fez sua parte ao contratar o veterano ala Antonio Valencia, jogador que acumulou uma década de sucesso no Manchester United, onde foi capitão.

LEIA MAIS

Figueirense perde por WO após protesto dos jogadores

Balotelli se apresenta ao Brescia com a Eurocopa em mente

Bélgica é o 10º país interessado em sediar a Copa feminina de 2023

Coutinho no Bayern é um novo episódio na ‘novela Neymar’

“Novela Neymar” continua e Barcelona segue otimista

A presença de De Rossi no time titular é pouco provável, como deu a entender o técnico Gustavo Alfaro. “Daniele ainda não está no ponto, mas podemos notar sua qualidade”, disse.

De Rossi “é um grande jogador. É claro que sei quem é, mas nunca disputamos uma partida. Será a primeira vez e esperamos que o triunfo fique em casa”, declarou Valencia.

BOLA RÁPIDA

Sobre a disputa em Quito, a cerca de 2.850 metros acima do nível do mar, Alfaro deu importância ao ritmo ditado por quem tem a posse de bola na altura, onde o Boca já jogou pela atual edição da Libertadores. “A velocidade da bola nos custou”, afirmou ele.

Para se adaptar à altitude da capital equatoriana, o elenco argentino se instalou desde segunda-feira em Quito, sem que isso descarte a possibilidade de que a condição aeróbica dos jogadores seja afetada.

“É preciso colocar uma equipe que seja rápida, que tenha a capacidade de manter a bola”, apontou o técnico, que em 2008 – quando comandava o argentino Arsenal – sofreu uma goleada de 6 a 1 no estádio da LDU pela primeira rodada da Libertadores.

PRESSIONAR

O técnico da LDU, o uruguaio Pablo Repetto, sabe como enfrentar e vencer a Boca. Em seu currículo ele já eliminou a equipe argentina nas semifinais da Libertadores de 2016, quando comandava o também equatoriano Independiente del Valle, que depois se tornou vice-campeão dessa edição.

A LDU quer “fazer uma grande partida”, disse Repetto, acrescentando que “é a esperança que temos. O Boca é um grande adversário”.

Entre os equatorianos, a principal novidade será a ausência do meia Jhojan Julio por expulsão. A primeira opção que surge é o criativo Andrés Chicaiza, que tem sido fundamental em suas participações diante do Flamengo e do paraguaio Olimpia.

O duelo está marcado para as 19h15 (pelo horário de Brasília) de quarta-feira e terá o colombiano Wilmar Roldán como árbitro, acompanhado por seus compatriotas Alexander Guzmán e Dionisio Ruiz como auxiliares.

O jogo de volta será disputado no dia 28 de agosto no estádio La Bombonera, em Buenos Aires.


FECHAR