publicidade
21/08/19
Treinador analisou também a postura adotada no segundo tempo da partida. Foto: Anderson Stevens/Sport
Treinador analisou também a postura adotada no segundo tempo da partida. Foto: Anderson Stevens/Sport

Guto reconhece pouca criação do Sport, mas destaca atuações de substitutos

21 / ago
Publicado por Klisman Gama em Notícias às 0:12

Em um jogo onde o desempenho não encheu os olhos, mas foi suficiente, o Sport conseguiu vencer o Vila Nova por 2 a 0 em Goiânia. A equipe leonina teve um primeiro tempo ruim, com dificuldades para criar jogadas e desmontar a defesa adversária. O mesmo acontecia do lado adversário, que não conseguia criar grandes chances diante do sistema defensivo bem postado do Rubro-negro. Ainda sofrendo com as lesões de Sander e Adryelson no primeiro tempo, o treinador do Leão elogiou a entrada dos substitutos.

LEIA MAIS

>> Em noite cheia de lesões, Sport vence o Vila Nova e entra no G4

>> Sport perde Sander e tem Adryelson como dúvida contra a Ponte Preta

“Foi um jogo difícil. A gente não começou muito bem. O time teve dificuldade, estava errando passe, mas estava sabendo marcar e sofrer. Mesmo com isso, nós tínhamos chances. Nenhum dos dois times tinham chances tão claras, mas as melhores eram nossa. Tivemos duas baixas bastante importantes. Sander é o capitão, mas o Raul Prata entrou muito bem e o Eder também (na vaga de Adryelson)”, analisou o técnico Guto Ferreira.

Sendo forçado a fazer logo duas mexidas no time por conta de lesões, o comandante rubro-negro teve que segurar algumas trocas planejadas por conta do cansaço. Segurou até quando pôde, para colocar o meia Leandrinho na vaga do cansado Juninho. Com uma boa atuação na partida, o camisa 37 deu a assistência para o primeiro gol do Sport no jogo. Com a entrada do meio-campista, os pernambucanos passaram a ter um melhor controle da partida e soube administrar para assegurar o placar. 

“A gente ficou meio limitado de fazer estratégias e criar situações de cansaço. No segundo tempo, fomos empurrando. O Juninho era peça certa para sair, mas o Juninho conseguiu ajudar e o Elton foi feliz na finalização. O do Hyuri também foi muito bonito, uma bola cruzada na gaveta. Com a entrada do Leandrinho, a equipe começou a se organizar, manter posse. Eles tiveram a infelicidade da saída do (Bruno) Mezenga e mantivemos a posse. A equipe foi inteligente e quando atacou, criou situações interessantes”, concluiu Guto.


FECHAR