publicidade
20/08/19
Foto: André Moreira/ Volta Redonda/ Divulgação
Foto: André Moreira/ Volta Redonda/ Divulgação

Veja o raio-x dos times que brigam por classificação no grupo B da Série C

20 / ago
Publicado por Filipe Farias em Náutico às 16:58

A última rodada do grupo B da Série C será empolgante. Com apenas o Juventude já classificado para as quartas de final, cinco clubes (Paysandu, Remo, Ypiranga, Volta Redonda e São José) brigam pelas três vagas restantes. E, para aumentar ainda mais a dramaticidade, essas seis equipes se enfrentam do domingo ( 25), no mesmo horário: 18h.

No estádio Mangueirão, o clássico paraense entre Paysandu (2º, com 27 pontos) x Remo (3º, com 26). No estádio Alfredo Jaconi, o Juventude (1º, com 28) recebe o Ypiranga (4º, com 25). E, por fim, o São José (5º, com 25) encara o Volta Redonda (6º, com 25), no estádio Passo D’Areia.

Para conhecer um pouco mais dos possíveis adversários dos pernambucanos – o Náutico já está classificado às quartas de final da Série C, enquanto que o Santa Cruz ainda sonha com a vaga -, o repórter João Victor Amorim, da Rádio Jornal, conversou com alguns setoristas dos clubes que estão no grupo B da Terceirona, que esclareceram as características das equipes que fazem a cobertura no dia a dia.

Confira os depoimentos dos repórteres:

Eduardo Costa, da Rádio Caxias (setorista do Juventude)

“Dentre as principais características do Juventude, uma delas está na sua força como mandante. Ainda está invicto na Série C jogando no Alfredo Jaconi. O time de Marquinhos Santos apresenta um bom futebol em casa. Outra característica forte é a defesa. O Juventude tem uma das defesas menos vazadas na competição (tomou 13 gols). Marquinhos Santos conseguiu impor isso desde a sua chegada, no Estadual, e isso o auxiliou muito nessa bela campanha do Juventude”.

 

Dinho Menezes, da Rádio Clube do Pará (setorista do Paysandu)

“O Paysandu vem bem na classificação do grupo B, na segunda posição. A contratação do meia Tomás Bastos, ex-Botafogo, foi importante e ele vem fazendo um papel bacana, com cinco gols em quatro jogos. É a sensação do Paysandu. O Hélio dos Anjos, desde que assumiu o time, ainda não perdeu. São 13 jogos pela Série C e um pela Copa Verde. Ou seja, 14 jogos que ele está invicto no comando do Paysandu. Hélio vem jogando num esquema no 4-3-3 variando com o 4-1-4-1”.

 

Paulo Caxiado, Rádio Clube do Pará (setorista do Remo)

“Remo foi bem no primeiro turno e conquistou 15 pontos. No segundo turno acabou tropeçando bastante, inclusive, jogando dentro de casa, e só conquistou 11 pontos. Por isso, o Remo está nessa situação de jogar com Paysandu e ter de vencer para não depender de nenhum outro resultado. Com relação ao esquema tático, o time de Márcio Fernandes  joga no 4-3-3 com variação para o 4-4-2. Jogadores importantes nessa campanha do Remo: o goleiro Vinícius, o centroavante Neto Baiano, o meia Eduardo Ramos e Yuri, além do volante Ramires… Atletas que trabalham para subir o Remo”.

 

Edilon Flores, Rádio Difusão de Erechim (setorista do Ypiranga)

“O técnico Fabiano Daitx vem adotando o 4-4-2. Fora de casa tem um bom aproveitamento, jogando por uma boa. Mas em casa não tem correspondido e tem baixo índice. O Ypiranga não investiu muito, a folha não chega a R$ 200 mil. Mas tem alguns atletas rodados no futebol brasileiro, como o volante Reinaldo Dutra, que atuou no Pelotas, Marco Antônio que já atuou na Série A do Gaúchão no ano passado… Outros que passaram na dupla Gre-Nal, como o zagueiro Saimon.

 

Ilder Alves, da Rádio Sul Fluminense de Volta Redonda (setorista do Volta Redonda)

“A equipe do Volta Redonda joga com o esquema 4-4-2, com dois homens na frente. João Carlos que é mais experiente, com um pelo lado direito. Mas algumas vezes esse esquema acabou não dando certo por conta das inúmeras lesões… Isso prejudicou o treinador (Toninho Andrade) para montar as estratégias em alguns jogos e acabou perdendo pontos preciosos. O setor defensivo é o que se pode chamar de a referência do time, com o capitão Heitor. O Volta Redonda tem um bom poder defensivo, começando com os dois volantes: Bruno Barra e Bileu. Tem o Gelson que joga mais à frente, como um terceiro homem de meio de campo, que também marca muito bem. Na armação tem Wandinho e Douglas Lima que se revezam. Em casa, o time de Toninho Andrade costuma jogar mais ofensivo, no 4-3-3.

 

Gustavo Fogaça, da Dazn (setorista do São José)

“Ao meu ver, o São José foi durante um tempo o time mais organizado e com mais recursos táticos, mesmo não tendo muitos recursos técnicos. Rafael Jacques tem o DNA do clube, conhece bem o São José e o elenco compra suas ideias e executar com precisão. É um time difícil de ser batido, com nomes como Rafael Carrilho (meia), bom armador, o goleiro Fábio, extremos de velocidade como Matheusinho e Cláudio Maradona, além do matador Luiz Eduardo. É um time com possibilidades de chegar como favorito ao título.


FECHAR