publicidade
03/05/19
Edson Cariús balançou as redes 16 vezes no ano passado e neste temporada já marcou 13 vezes gols. Foto: Pedro Chaves/Divulgação
Edson Cariús balançou as redes 16 vezes no ano passado e neste temporada já marcou 13 vezes gols. Foto: Pedro Chaves/Divulgação

Treinador do Santa Cruz quer parar atacante do Ferroviário

03 / maio
Publicado por Davi Saboya em Notícias às 16:51

Robert Sarmento, Rádio Jornal – O Santa Cruz segue em preparação para enfrentar o Ferroviário, neste domingo, às 18h, pela Série C, na Arena Castelão. E para o confronto no Campeonato Brasileiro, o técnico Leston Júnior demonstra preocupação com o atacante Edson Cariús, que já balançou as redes 13 vezes nesta temporada – foram 16 gols, em 2018 – e foi sondado por clubes da primeira divisão, como Ceará e Avaí. Por isso, o treinador coral analisa uma maneira de jogar que impossibilite espaços para o artilheiro.

“Nós temos dois treinos para ser realizado. Vou continuar avaliando para ter uma equipe equilibrada no domingo. É importante que tenhamos um equipe constante ofensivamente, mas que não ofereça ao adversário oportunidades de explorar a capacidade que tem o centro-avante. O Edson (Cariús) tem uma média de gols alta desde a temporada passada”, disse Leston Júnior.

MISAEL

Na tarde desta sexta-feira (03), o Santa Cruz anunciou a contratação do atacante Misael, de 31 anos, que estava no XV de Piracicaba. O comandante coral falou sobre o reforço. “O Misael é um atacante de lado de campo, que tem como característica o um a um e tem maturidade. Espero que possa nos ajudar na caminhada”, avaliou.

LEIA MAIS

Santa Cruz contrata atacante Misael para a Série C do Brasileiro

Gerente afirma que Anderson fica no Santa Cruz

Pipicão ganha um novo lar, título de sócio e camisa no Santa Cruz

NOVAS CONTRATAÇÕES

Leston evitou comentar se novas peças vão chegar em breve ao Arruda, para ajudar o time a conquistar o acesso à Série B, e preferiu deixar que a diretoria do clube fale sobre o assunto. “Eu vou deixar mais a cargo da direção. Se eu começar a falar de necessidade, eu levo (internamente para o clube) uma situação que não é legal. A qualificação é um dos componentes, mas podemos estimular também os que estão aqui. Isso ajuda muito a melhorar o nível, até mesmo daqueles que possam chegar, se a direção assim decidir”, relatou.


FECHAR