publicidade
29/12/18
Foto: Filipe Jordão / JC Imagem
Foto: Filipe Jordão / JC Imagem

Em dia histórico, Santa Cruz inaugura campo do CT

29 / dez
Publicado por Maria Lua Ribeiro em Copa do Nordeste às 18:02

Por Diego Borges, da Editoria do Jornal do Commercio

O dia 29 de dezembro de 2018 ficará eternizado na história do Santa Cruz. Não por um grande título, mas por um passo estrutural que o clube demorou quase 105 anos para formalizar. A partir deste sábado, o número 6501 do km 7 da estrada da Mumbeca tornou-se oficialmente o lugar de treinos do Tricolor, que dará ao tantas vezes castigado gramado do Arruda o merecido descanso entre jogos.

Com as devidas bênçãos dos ex-presidentes Rodolpho Aguiar, que empresta o nome ao Centro de Treinamentos Ninho das Cobras, Antônio Luiz Neto, responsável pela aquisição do terreno em 2011, com recursos oriundos da venda do atacante Gilberto, além do atual mandatário do clube, Constantino Júnior, e os demais dirigente, e até o Padre David, o campo em homenagem ao arquiteto Reginaldo Esteves recebeu amistosos das categorias Sub-15 e Sub-20 do clube pela manhã e o treinamento do elenco profissional durante a tarde.

“Além do lado simbólico da importância do Santa Cruz ter o espaço dele, a entrega vai qualificar os trabalhos da equipe profissional, em um local de maior privacidade, de maior rendimento. Com isso podemos preservar o nosso gramado e, fundamentalmente, ter a partir dos próximos campos a nossa maior vocação, que é a revelação de novos talentos, fomentar atletas das categorias de base. É um dia histórico na nossa bela trajetória no clube”, apontou Constantino Júnior.

Responsável pela obra e principal ícone do CT ninho das Cobras, o diretor financeiro da Comissão Patrimonial, João Caixero ressaltou a importância do papel da torcida coral. “Entregamos o campo graças ao apoio da torcida. O clube como instituição não tem um centavo nele. Os R$ 780 mil aplicados de 2016 até hoje foram dados pela mão do torcedor. Pela confiança que eles tiveram em nós, pela forma que acreditaram no projeto, por aquilo que se sentia a ausência de um patrimônio maior do Santa Cruz que seria o centro do treinamento.”

Papel que é representado com propriedade pelo empenho do grupo Tricolores do CT, formado pelos torcedores Bruno Melo, Saulo Cunha, Hugo Ferreira e Rafael Perrier, que serão, inclusive, homenageados com o nome do segundo campo que será construído a partir do próximo dia 5 de janeiro.

“A gente sempre tem ouvido falar que time grande é time que tem CT, então a gente dá um pequeno passo para colocar o Santa Cruz no lugar que ele merece, que é o de terror do Nordeste e revelar jogadores e produzir em casa os seus talentos. Não foi fácil estar à frente disso. Mas com muita confiança da torcida e transparência, que é o principal motor do projeto, hoje a gente olha há um ano atrás e lembra os momentos que a gente abdicou de família, de trabalho para ter reuniões e realizar esse sonho”, lembrou Bruno Melo.


FECHAR