publicidade
13/09/18
Foto: Léo Motta/JC Imagem
Foto: Léo Motta/JC Imagem

2019: Diógenes Braga acredita em temporada próspera para o Náutico

13 / set
Publicado por Maria Lua Ribeiro em Náutico às 7:23

Título no Campeonato Pernambucano após 13 anos de jejum, avanço até a Quarta Fase na Copa do Brasil e campanha positiva na fase de grupos da Série C. O retrospecto positivo do Náutico em 2018 inspira o clube para no mínimo repetir o desempenho da temporada que vem, e ir além. O vice-presidente de futebol no Timbu está confiante em um ano próspero para o Alvirrubro em 2019, mantendo bons resultados e alcançando metas.

LEIA MAIS:

Salário alto deve dificultar renovação de Lelê com o Náutico

Náutico e a ginástica para reduzir a folha salarial nos meses de inatividade

Náutico descarta torneio de reabertura para os Aflitos

“A minha preocupação maior é com a estrutura do time. Com a condição que temos de fazer o time render bem. Não é uma questão de cautela. As coisas são feitas nos momentos propícios. O ano de 2019 tem uma tendência de ser um pouco diferente, pois vamos iniciar com uma estrutura de time melhor, e acredito que os jogadores vão evoluir”, disse o dirigente em entrevista ao repórter Allan Pereira para a Rádio Transamérica. 

Diógenes Braga também comentou sobre o empenho da diretoria em manter a base do time que atuou em 2018 para o ano que vem. Segundo ele, esse fator será fundamental para o Náutico alcance o objetivo que não foi conquistado neste ano: o acesso à Série B.

“Acredito, sinceramente, que dentro desse grupo vários jogadores vão ganhar um carinho da torcida. Wallace é um exemplo disso. Os meninos, Robinho e Luiz Henrique caso voltem e os clubes não comprem, já têm esse carinho também. Assim como Suéliton e Josa, pela liderança”, afirmou.

Reforços

O VP de futebol do Timbu ainda mencionou possibilidades de contratações. Porém ele fez um alerta de que os reforços não farão milagre para que o ano do Náutico seja igual ou melhor do que 2018. “Se acontecer a oportunidade de um jogador vir, tudo bem. Mas não necessariamente porque queremos repetir a fórmula”.


FECHAR