publicidade
01/09/18
Reservas treinaram no campo. Titulares na academia na reapresentação do Sport. Foto: Williams Aguiar/Ascom Sport
Reservas treinaram no campo. Titulares na academia na reapresentação do Sport. Foto: Williams Aguiar/Ascom Sport

Técnico do Sport prevê dificuldades diante do lanterna

01 / set
Publicado por Maria Lua Ribeiro em Notícias às 13:13

Enfrentar um time que está bem em uma competição já é complicado. Mas duelar com o lanterna é ainda mais difícil. De acordo com o técnico do Sport, Eduardo Baptista, o Paraná, adversário do Leão neste domingo (2) pela Série A, deve colocar muito obstáculos no jogo, que será realizado na Ilha do Retiro. Isso porque assim como o Sport, a Gralha-azul quer se livrar da zona de rebaixamento, e principalmente da lanterna da competição.

LEIA MAIS:

Jair evita comparações com Anselmo e projeta futuro no Sport

Sander pontua treinos do Sport e destaca elementos que não podem faltar ao time

Atacante do Sport reconhece falta de capricho nas finalizações

“Temos que ter atenção. Talvez é melhor pegar um São Paulo ou um Flamengo aqui em Recife, que vêm para jogar, e vão acabar dando espaço. Lógico que tem qualidade, mas vão dar espaço e o contra-ataque”, disse o treinador leonino, durante entrevista coletiva.

Eduardo Baptista ainda ressaltou a construção do Paraná, que apostou em montar um time praticamente do zero, e que deu resultado. Tanto é que eles alcançaram o sonhado acesso à Primeira Divisão. “Eu acompanhei de perto, é uma equipe que se formou muito rápido, e eles contrataram 25 atletas de uma vez. Isso não dá liga. Em dez chances, talvez você acerte uma, mas foi uma equipe muito bem treinada e organizada pelo Micale”, destacou o técnico do Leão.

Claudinei Oliveira

O atual técnico do Paraná foi o último a treinar o Sport neste ano, antes da chegada de Eduardo Baptista. Esse também é um motivo de preocupação para o Sport. “É uma equipe bem fechada, bem organizada, e temos que tomar cuidado com isso. Não se preocupa em ter a bola, prefere jogar em contra-ataque e transição. Precisamos ter atenção, especialmente com as bolas paradas. Talvez seja o lance de mais perigo que possamos ter”, concluiu.


FECHAR