publicidade
26/08/18
Foto: José Tramontin/OFEC
Foto: José Tramontin/OFEC

Santa Cruz perde por 3×0 e fica mais um ano na Terceira Divisão

26 / ago
Publicado por Wladmir Paulino em Notícias às 16:58

O Santa Cruz errou muito na marcação e viu seu adversário, que mesmo sem uma atuação primorosa, sereficiente na estratégia de jogo e conseguiu o resultado que o classificava para a Série B com sobras. O Operário fez 3×0 no Santa e carimbou sua ida para a Série B, relegando ao time pernambucano mais um ano na Terceira Divisão do futebol brasileiro.

Como era esperado, o técnico do Santa Cruz, Roberto Fernandes, optou por uma formação mais marcadora no meio de campo, sacando Carlinhos Paraíba para entrada de Charles. Na teoria, uma situação normal, mas na prática, criou dois problemas para seu time: a marcação não surtiu efeito e a criação ficou órfã. O jogo ficou feio, com poucas trocas de passes e muitas bolas longas.

Leia mais:

Permanência do Santa Cruz na Série C trará mais prejuízo que a queda em 2017

Santa Cruz: Roberto evita enumerar erros, mas lamenta situações pontuais

> Técnico do Santa Cruz diz que acesso não veio pela superioridade do Operário

Torcedores do Santa Cruz criticam a diretoria pela permanência na Série C

O Operário veio com o centroavante Schumacher. A estratégia era levantar a bola para ele ajeitar para quem chegava de trás, principalmente o camisa 10, Robinho. Podia não ser o melhor a fazer, mas era o que o time da casa tinha para hoje e estava funcionando, tanto que aos nove minutos ele ganhou por cima e Robinho completou para as redes. O gol foi anulado porque o atacante voltava da posição de impedimento.

O Santa Cruz não tinha a distribuição de jogo do último domingo e seu maior desafogo, Jailson, pelo lado esquerdo, foi quase que completamente ignorado no primeiro tempo. Coube apenas à dupla Robinho e Vítor a tarefa de levar o time à frente. Em duas oportunidades eles conseguiram, também no começo jogo. Na primeira, Pipico chutou raspando a trave. Na segunda, o artilheiro chegou atrasado por uma fração de segundo.

Nesse jogo truncado, o Operário insistiu no jogo aéreo e abriu o placar aos 21. Clayton bateu falta na área e no bate rebate sem que os corais afastassem, Alisson chutou forte. Ricardo Ernesto ainda tocou na bola, mas não o suficiente para evitar seu primeiro gol tomado.

Segundo tempo

Os dois times voltaram para o segundo tempo com as mesmas escalações e jogando da mesma forma. O Santa Cruz aceitando o jogo do adversário, sem arriscar, talvez por medo de se arriscar a tomar o segundo gol. E o Operário evitou pressionar em busca do segundo provavelmente temendo se abrir para o empate dos corais.

Nem parecia decisão de uma vaga numa divisão superior do futebol brasileiro até os 28 quando Leo cruzou a meia altura e Schumacher entrou de primeira e completou para as redes. O time pernambucano sentiu o gol e cinco minutos depois viu o que era difícil virar desespero.

Schumacher recebeu dentro da área pelo lado direito e tocou de calcanhar para Clayton, que entrava em velocidade. Ele foi para a linha de fundo e cruzou rasteiro para Dione marcar o terceiro, que obrigava o Tricolor a marcar mais dois gols para avançar.

Ficha do jogo

Operário
Simão; Léo, Alisson, Sosa e Peixoto; Chicão, Erick, Cleyton e Robinho (Xuxa); Lucas Batatinha (Dione) e Schumacher (Quirino). Técnico: Gerson Gusmão.

Santa Cruz
Ricardo Ernesto; Vítor, Sandoval (Augusto Silva), Danny Morais, Allan Vieira; Willian Maranhão, Charles (Augusto) e Arthur Rezende; Robinho, Jailson e Pipico. Técnico: Roberto Fernandes.

Campeonato Brasileiro da Série C (jogo da volta das quartas de final). Local: Estádio Germano Kruguer, em Ponta Grossa (PR). Árbitro: Raphael Claus (SP), FIFA. Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (SP), FIFA e Rogério Pablos Zanardo (SP), CBF. Gols: Alisson, aos 21 do primeiro tempo. Schumacher, aos 28; Dione, aos 33 do segundo. Cartões amarelos: Chicão e Arthur Resende.


FECHAR