publicidade
09/08/18
Por sua vez, Márcio Goiano revela desejo de sempre chegar na frente. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Por sua vez, Márcio Goiano revela desejo de sempre chegar na frente. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Técnico do Náutico cita respeito à estratégia do Atlético-AC de decidir fora

09 / ago
Publicado por Karoline Albuquerque em Náutico às 20:20

O Atlético-AC liderou com folga o grupo A em boa parte da primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série C. Nas última partidas, tirou um pouco o pé, apertou o freio e, já classificado para as quartas de final, vai com reservas para a última rodada. Para o técnico Álvaro Miguéis, vale mais a pena decidir fora de casa. A estratégia parece estranha, mas ao comentar sobre o colega de profissão, o técnico do Náutico Márcio Goiano citou respeito.

“Cada um tem o seu pensamento, sua forma de analisar. Acima de tudo, eu respeito. Principalmente a campanha que eles fizeram. Se fosse para apostar no Atlético, pouco seria apostado. Fizeram uma competição boa. Valorização pessoal, tanto do treinador quanto dos jogadores, e isso no final acaba valorizando tudo. Isso é o pensamento deles e eu penso totalmente diferente, em relação a isso”, avaliou.

LEIA MAIS:

Técnico do Náutico afirma que time precisa de “inteligência para decidir”

Márcio Goiano ressalta trabalho da análise de desempenho do Náutico

Com poucas mudanças na temporada, presidente do Náutico reforça austeridade

Mesmo respeitando a decisão do técnico da equipe acreana, Márcio não quer nem saber desse tipo de estratégia em seu grupo. Afinal, ele lembra que pegou o Timbu na lanterna da chave, em bastante dificuldade para conseguir a classificação. O técnico pondera que agora poderia estar se classificando em quarto, pela dificuldade, e ressalta a felicidade de terminar a primeira fase na liderança.

O treinador alvirrubro destacou a luta, desde quando era atleta até agora como técnico, para estar sempre na frente. “Principalmente hoje, estar à frente do time do Náutico. Eu sei que camisa não ganha, mas estar bem e terminar bem a competição e iniciar o mata-mata, é muito importante, e eu repassei isso para o grupo. Estou muito feliz de estar entre os quatro, porque no início sabíamos da dificuldade. E se terminarmos em primeiro, vou ficar muito feliz pelo trabalho de todos, de concentração, de foco. E eu sempre cobrei dos atletas, nas últimas cinco rodadas para que a gente terminasse bem”, completou.


FECHAR