publicidade
12/07/18
Jogador falou da sua trajetória até se destacar no Náutico. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Jogador falou da sua trajetória até se destacar no Náutico. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Fã de Paulinho e ascensão rápida: a trajetória de Luiz Henrique até o Náutico

12 / jul
Publicado por Thiago Vieira em Náutico às 15:27

O Náutico conseguiu uma arrancada meteórica na Série C. Com cinco vitória seguidas, o Timbu saiu da zona de rebaixamento para a vice-liderança do grupo A. Dentro do elenco, uma das peças que evoluiu junto à equipe foi o jovem Luiz Henrique, meia de 21 anos e autor do terceiro gol alvirrubro na vitória por 3×2 ante o Confiança, na última partida. Na sua primeira coletiva como profissional, ainda tímido, ele falou da sua trajetória no futebol.

“Comecei numa escolinha de Maceió-AL, de bairro, depois fui para o Sport, mas fui dispensado. Aí vim aqui para o Náutico em 2016”, disse. Ele também lembrou das dificuldades que teve que superar. “Passei muitas dificuldades. Às vezes ia treinar e não tinha passagem. Fui superando, e com o apoio dos meus pais cheguei até aqui”.

LEIA MAIS:

Bruno afirma que Náutico faz contas para a classificação

Goleiro do Náutico aposta na França campeã na Copa da Rússia

Dentre as referências que o jogador traz consigo, um atleta da seleção brasileira é destacado. “Eu me espelho e gosto muito do Paulinho, do futebol dele. Sou muito fã”, afirmou. Já dentro do próprio Náutico, outro meia que o ajudou nessa caminhada, Wendel, que anunciou a aposentadoria no início do Brasileiro. “Ele teve uma importâcnia muito grande. Orientava bastante, passava muitas dicas. Agradeco muito a ele. Dizia para eu treinar forte, me dedicar ao máximo”, narrou.

Da base do Náutico ao profissional

A saída do rival alvirrubro, o Sport, segundo Luiz Henrique foi por conta de problemas pessoais. A ida para o o Náutico foi com Levi Gomes. Ele chegou para o time B, até ser integrado ao elenco principal. O jogador comemorou a ascensão rápida na equipe.

“Não passava pela minha cabeça no primeiro ano como profissional estar assim. Mas sempre trabalhando forte desde a base para chegar aqui em cima e fazer o meu melhor”, lembrou. Agora, ele teve contrato renovado até 2020.

 

 


FECHAR