publicidade
14/03/18
Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Conheça a teoria do pênalti perfeito criada por Stephen Hawking

14 / mar
Publicado por Maria Lua Ribeiro em Instant Articles às 14:22

Há quem diga que pênalti é loteria. No entanto, dentre as inúmeros contribuições do físico Stephen Hawking para a ciência, ele também criou a “teoria do pênalti perfeito”, que garante quase totalidade nos acertos das penalidades máximas. O estudo do teórico – morto nesta quarta-feira (14) aos 76 anos devido a uma doença degenerativa – está baseado em todas as cobranças desde que o método foi introduzido na Copa do Mundo de 1978.

1 – Velocidade

A primeira tarefa de um jogador que vai cobrar a penalidade, é pensar na velocidade. “Por isso, corra mais de três passos”, disse o físico no blog do site de apostas PaddyPower. De acordo com o que foi calculado por ele, o atleta tem 87% de chance de marcar um gol quando corre mais do que três passos.

2 – Posicionamento

Atrelado ao fator velocidade, o batedor deve estar com os pés bem posicionados para conseguir o gol. Hawking recomenda o uso da lateral no lugar do peito do pé ao chutar a bola. Isso pode garantir mais 10% de chance do jogador balançar as redes.

3 – Direcionamento

O lugar aonde o jogar deve mirar a bola também pode ser determinante na hora de garantir o tento. Baseando-se em todas as penalidades desde a Copa de 1978, Hawking disse que os cantos superiores, dos dois lados, podem ser definitivos. “As estatísticas confirmam o óbvio. Chute no canto superior esquerdo ou direito”, afirma. Os pênaltis batidos nestas áreas são convertidos em gol em 84% das vezes.

Foto: AFP

LEIA MAIS:

“Elogio é bom, mas não pode empolgar”, diz goleiro do Náutico

Presidente do Santa Cruz espera que árbitro mantenha a autoridade no clássico

Que apenas o futebol seja destaque no clássico desta quarta

O estudo foi a maneira que o britânico tentou criar para ajudar a Inglaterra a ser campeã da Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil. Segundo Hawking, a Inglaterra tinha um melhor desempenho no esquema 4-3-3, e quando utilizava o uniforme vermelho. Porém, o fator “pênalti” não decide sozinho o título de um torneio mundial. A seleção da Inglaterra não passou da fase de grupo da Copa passada.

Pés de bailarina

Foi durante a formulação desta teoria que o físico provocou o atacante uruguaio Suaréz e o chamou de bailarina. Mas foram justamente os pés de bailarina do jogador que eliminaram a Inglaterra da competição.”Precisamos de um árbitro europeu. Eles são mais empáticos com o futebol inglês do que com bailarinas como Luis Suárez”, disse o britânico.

Foto: AFP


FECHAR