publicidade
13/03/18
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Alvirrubros focam no campo e tranquilizam presidente:”a gente não quer ouvir de dinheiro no CT”

13 / mar
Publicado por Tiago Morais em Instant Articles às 13:30

Com boas campanhas dentro do gramado o Náutico por meio da sua diretoria e presidência corre muito fora do campo para honrar os compromissos financeiros do clube, e lidando com dívidas trabalhistas que geraram um bloqueio das receitas alvirrubras, fato que fez o presidente ir à 12ª Vara da Justiça do Trabalho para tentar desbloquear uma parte da cotas da Copa do Brasil, recebidas pelas passagens de fases.

Como parte do compromisso da diretoria, a folha de pagamento do Náutico é enxuta, fruto da política de redução de gastos, e contratações pontuais solicitadas pelo técnico Roberto Fernandes. O que nesse momento é uma das maiores preocupações do mandatário alvirrubro é que mesmo com salários baixos e tendo recursos, o Náutico não consiga honrar seus compromissos em virtude do congelamento das cotas obtidas na competição nacional.

“A gente não pode ter um motivo para desmotivá-los, com o nosso discurso e projeto de austeridade está sendo colocado em prática, não posso contratar um jogador dizendo a ele que só posso pagar esse valor, mas que ele vai receber em dia e quando chegar no vencimento ele não receber por bloqueios judiciais, então por isso estou indo na Justiça do Trabalho para conversar com o juiz para que ele libere a gente possa pagar a nossa folha”, disse Edno Melo em entrevista à Rádio Jornal na manhã desta terça-feira(13).

Grupo deu voto de confiança

Elogiando o elenco de jogadores, Edno revelou situação interna de como anda o ambiente do time comandado por Roberto Fernandes que está tendo que driblar também esse problema financeiro, para que o grupo não tire o foco das competições que está disputando e decidindo. Os jogadores não querem sequer ouvir falar de dinheiro no CT Wilson Campos, e deram esse voto extremo de confiança no trabalho do presidente e da diretoria.

“O grupo está muito fechado, muito focado. Para se ter uma ideia esta semana eu recebi uma ligação que achava que era para cobrar salário, eu ouvi o contrário: Edno, a gente não quer ouvir em dinheiro aqui agora no CT, a gente está focado em ser campeão. Quando sair o dinheiro a gente sabe que você paga. Isso motiva muito mais a gente e nos deixa preocupado e acertar com esse grupo o quanto antes”, disse.


FECHAR