publicidade
05/12/17
Foto: Divulgação/Sport Club do Recife
Foto: Divulgação/Sport Club do Recife

Sport derrota o Flamengo novamente e tem exclusividade do brasileiro de 1987 confirmada

05 / dez
Publicado por Karoline Albuquerque em Notícias às 15:37

A primeira turma do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou pela segunda vez, somente este ano, que o Sport é o único campeão brasileiro de 1987. Em julgamento do embargo de declaração interposto pelo Flamengo para também ser reconhecido como detentor daquele título, os ministros que compõem a turma deram a vitória aos rubro-negros de Pernambuco por 3×0 em sessão realizada na tarde desta terça-feira (5), em Brasília. Além de ‘perder’ o Brasileirão, o clube carioca terá que pagar as custas do processo, no valor de 2% da causa.

Marco Aurélio Mello, Rosa Weber e Alexandre Moraes foram os ministros que votaram. Luís Roberto Barroso não estava presente. Marco Aurélio, que é torcedor do Flamengo e relator do processo manteve o voto.

Leia mais:

> Direto de 1987: A Roedeira do Castor

> Sport responde ao Flamengo no STF

Alexandre de Moraes, corintiano, brincou com o fato de seu time ter conquistado recentemente o Brasileirão. “O fato superveniente é que meu time ganhou o Campeonato Brasileiro. Meu time ganhou mais um título brasileiro, até proque deixou os outros bem atrás, nem dúvida há. Não houve nenhuma alteração do que julgamos à época”, disse. Ao que Marco Aurélio retrucou, ironizando o processo que estão julgando: “Espero que seja o único”.

Antes, Moraes resumiu o pensamento dos ministros ao lembrar que o Flamengo queria uma nova discussão do mérito e usou a brecha jurídica para isso. “Todas essas questões foram muito debatidas

Na hora de proferir seu voto, a ministra Rosa Weber, torcedora do Internacional, também fez uma intervenção em favor de seu clube, recentemente promovido à primeira divisão. “Houve outro fato, sim: meu time conseguiu voltar à primeira divis~]ao. Mas de qualquer sorte, nos embargos de declaração, acompanho integralmente (o voto do relator)”, disse.


FECHAR