LITERATURA

Jornalista lança livro de contos fantásticos e de mistério ambientados no Sertão pernambucano

Jornalista lança livro de contos fantásticos e de mistério ambientados no Sertão pernambucano

Filipe Falcão é autor de 'A estrada amarela' (Imagem: Divulgação)

Publicado em Instant Article Literatura 11/06/2021 às 12:54

O Sertão pernambucano, morada de tantas histórias únicas, se tornou palco para contos de mistério em A estrada amarela. Trata-se do livro de estreia do jornalista e doutor em Comunicação Filipe Falcão no mundo literário. A publicação é da editora Estronho e as ilustrações são assinadas pela artista plástica pernambucana Vânia Notaro.

Na obra, o solo sertanejo se mostra fértil não somente para acontecimentos estranhos ou histórias fantásticas, mas também para o florescimento de anseios pessoais, antigos traumas e a solidão. Essas são as barreiras e mistérios a serem enfrentados pelos personagens de A estrada amarela.

“Brenda é uma jovem preocupada em sair daquela estrada antes do pôr do sol. Já Rodrigo  está de volta ao sertão depois de muitos anos e de um trauma de infância que parecia  morto e enterrado. Cecy e os filhos viajam para fazer boas ações, mas acabam  surpreendidos em uma pequena cidade que não consta no mapa. Seu Osvaldo é um  comerciante local que acaba recebendo uma visita inesperada no meio da noite enquanto  André, um experiente fotógrafo, se vê caçado no meio do sertão”, narra uma prévia do livro.

A obra é fruto do período de isolamento social imposto pela pandemia do coronavírus e foi escrito no primeiro semestre de 2020. “Busquei refúgio com livros, filmes e música. (…) Desta maneira, meio que de repente, comecei a rabiscar algumas ideias. Eu não tinha um conceito ou um formato específico, mas comecei a escutar estes pensamentos dando liberdade a eles e colocando histórias no papel.”, conta Filipe Falcão.

Sobre a escolha do palco de A estrada amarela, o jornalista e professor recifense explica: “Todos os personagens deste livro moram ou estão em trânsito pelo sertão de Pernambuco. Apesar de ser recifense, sempre tive um respeito e um carinho muito especial pelo sertão e seus moradores. Uma região castigada pela seca, é verdade, mas dona de um visual único e que preencheria facilmente as páginas de um livro de poesia. Lembrei das estradas do sertão pelas quais eu próprio já transitei como pontes para histórias aguardando personagens”.

O livro pode ser adquirido no site da editora. Os interessados também podem escrever para o e-mail filifalcao@gmail.com ou entrar em contato com o autor através do Instagram.

Compartilhe
Publicado por
Augusto Tenório

Comentários