CINEMA

‘Invocação do mal 3’: Confira o trailer e a história que inspirou o filme

‘Invocação do mal 3’: Confira o trailer e a história que inspirou o filme

Frame do trailer do terceiro filme de 'Invocação do Mal' (Imagem: Reprodução)

Publicado em Cinema 22/04/2021 às 2:59

O terceiro título da franquia Invocação do mal, uma das mais famosas no cinema de terror, ganhou seu primeiro trailer nesta quinta (22) e tem como subtítulo A ordem do demônio. Os fantasmas, claro, imagens geradas por computador baseadas nos escritos do Casal Warren, ganham tons reais ao ilustrarem um famoso caso de assassinato: o primeiro nos EUA em que o autor alegou estar possuído. O longa deve estrear no dia 3 de junho, nos cinemas.

LEIA TAMBÉM
> Mãe de Gilberto, do BBB21, revela que não torce pro reaproximação entre o filho com o pai
> Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, não aguenta postagem de Anitta e “desce” do cargo

Em Invocação do mal 3, os fãs da franquia podem se deparar com um filme um pouco diferente dos anteriores: é que ele será dirigido por Michael Chaves, aumentando a expectativa por uma atmosfera ainda mais sombria,

A história que inspirou o roteiro é a de Arne Cheyenne Johnson. Foi ele a primeira pessoa nos Estados Unidos a alegar estar possuído para se defender de uma acusação de assassinado. O caso aconteceu em 1981 e foi investigado pelo casal Ed (Patrick Wilson) e Lorraine Warrenn (Vera Farmiga).

A história de Invocação do mal 3

O caso é chamado de “Devil made me do it“, que significa “O Diabo me fez fazer isso”, incorporado no título de Invocação do mal. A história começou com um menino chamado David Glatzel, de 11 anos, que muitos acreditavam estar possuído. O casal Warren entra em contato com ele após ser chamado pela família do jovem e retira o suposto demônio da criança, deixando-a “curada”.

Ruairi OConnor vive Arne Johnson em Invocação do Mal 3 (Imagem: Reprodução)

Alguns meses mais tarde, Johnson, noivo da irmã mais velha do menino, chamada Debbie, mata Alan Bono, patrão da sua noiva. A vítima teria agarrado Mary, prima de nove anos de Debbie, durante um almoço.

Em sua defesa, Arne Johnson disse que não estava agindo como ele próprio após o exorcismo de David, evento no qual estava presente. A história foi corroborada por Lorraine Warren, que informou à polícia de Brookfield que o assassino estava possuído no momento do crime. Apesar da tentativa de escapar da condenação, ele cumpriu cinco anos de sua sentença, que era de 10 a 20 anos.

Compartilhe
Publicado por
Augusto Tenório

Comentários