Polícia apreende armas, euros e dólares na casa de Belo

Publicado em Notas 17/02/2021 às 19:29
Polícia apreende armas, euros e dólares na casa de Belo

Belo (Imagem: Divulgação)

Dando sequência à operação “É o que eu mereço”, que prendeu o cantor Belo nesta quarta-feira (17), a Polícia Civil do Rio apreendeu duas pistolas, R$ 40 mil em espécie, € 3,5 mil (equivalente a quase R$ 23 mil), cerca US$ 1 mil e um computador na casa do artista. As informações foram dadas pelo delegado Gustavo Cabral em coletiva de imprensa.

LEIA TAMBÉM > Núbia Oliver está noiva: “Espero que seja intenso”

Belo é investigado por infração de medida sanitária, crime de epidemia, invasão de prédio público e associação criminosa após realização de show no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, no último sábado (13).

“Apreendemos na casa do Belo duas armas, que são registradas, mas estão com o registro vencido; cerca de R$ 40 mil em espécie; mais de 3.500 euros e um pouco mais de mil dólares”, comentou o deputado.

Gracyanne Barbosa comenta prisão de Belo: “Pesadelo”

Através do seu Instagram, Gracyanne Barbosa comentou a prisão do marido. Nos stories, a influenciadora fitness defendeu a escolha de Belo por realizar o show, alegando que, mesmo com a pandemia, o setor de entretenimento voltou a ativa. Ela ainda afirma que o artista toma cuidados sanitários, com distanciamento e testes na equipe.

No feed da rede social, ela comenta: “Você saiu para fazer mais um show, para trabalhar para a nossa família! E agora não saberemos que horas você volta. Você subiu a comunidade e cantou, fez um super show. Perpetuou sua mensagem de amor. Amanhecemos com a nossa casa invadida. Prisão e pesadelo. A opressão da realidade de uma periferia, que sempre lutamos contra, hoje atinge a realidade de um artista, em que é proibido sair para trabalhar”.

Ainda na rede social, Gracyanne continua: “Para justificar algo, botam nas costas dele, atribuições que nem são dele. Checar restrições sanitárias se tornou função do cantor, bem como checar autorização do local. Censura? Opressão? Ditadura? Me pergunto tanta coisa! Hoje essa é a história da minha família. Mas quando a vejo no espelho, ou abro o jornal, vejo também que é a realidade de muitas famílias que vivem em comunidades”.

Compartilhe
Publicado por
Augusto Tenório

Comentários