FIM DA CONFUSÃO

Empresário que alugou casa de Elba Ramalho pede desculpas

Empresário que alugou casa de Elba Ramalho pede desculpas

Elba Ramalho (Imagem: Reprodução/Instagram)

Publicado em Notas 30/12/2020 às 5:07

O empresário Guilherme Souza, locatário da casa de Elba Ramalho em Trancoso (Bahia), pediu desculpas à cantora e à população local após realizar festa para centenas de pessoas, em descompasso com as recomendações sanitárias para contenção da pandemia do novo coronavirus. O evento repercutiu negativamente para a cantora, que explicou não ter relação com o ocorrido e que não compareceu ao evento.

LEIA TAMBÉM > Após crítica, Marcelo Médici chama novela de Aguinaldo Silva de “bosta”

“Eu, empresário Guilherme Souza, locatário do período do Réveillon da Casa de Elba Ramalho, venho pedir desculpas à cantora. Era um encontro apenas para os hóspedes da casa, mas infelizmente – com o boca a boca – tomou proporções inaceitáveis. Peço desculpas não só à Elba, mas à toda comunidade de Trancoso, e não voltará a acontecer. (…) Inclusive, diante do ocorrido, estou acatando o pedido da Elba para a rescisão do contrato de locação”, comunicou ao site Alô Alô Bahia. A cantora, por sua vez, compartilhou a publicação no seu Instagram.

Entenda a confusão na casa de Elba Ramalho

Um vídeo circula pelas redes sociais e mostra centenas de pessoas aglomeradas e sem máscaras em uma festa na casa de Elba Ramalho, localizada em Trancoso, na Bahia. A cantora afirma que não participou do evento, uma vez que o imóvel está alugado. Ela diz ter autorizado um evento para “somente” 200 pessoas. De acordo com informações do UOL, quando a polícia interrompeu o encontro, cerca de 700 pessoas estavam reunidas, o que desrespeita as regras das autoridades de Saúde com relação à pandemia do novo coronavirus.

“A casa foi alugada do dia 25 de dezembro ao dia 4 de janeiro, como todos os anos eu faço. Esse é um período em que eu alugo outra casa ou fico numa pousada porque eu venho mesmo para descansar. A casa está nas mãos de outras pessoas, que vão responder. A responsabilidade é delas, não é minha. (…) Estava na missa. Estava na igreja às 19h, fazendo a leitura de Salmos quando comecei a receber mensagem sem entender o que estava acontecendo. Fui incisiva com eles, dizendo que não poderiam infringir a regra determinada pelo juiz de Porto Seguro, que seria festa somente para 200 pessoas. Eles sabiam disso”, afirmou Elba Ramalho à Quem.

Compartilhe
Publicado por
Augusto Tenório

Comentários