MEMÓRIAS EM LIVRO

Xuxa fala sobre polêmico filme em livro e deixa claro: “Não transei com um menino e não fui vendida para um prostíbulo”

Publicado em Famosos 20/09/2020 às 13:43
Xuxa fala sobre polêmico filme em livro e deixa claro: “Não transei com um menino e não fui vendida para um prostíbulo”

Xuxa - Foto: reprodução

Xuxa conta sua história no livro “Memórias” (Globo Livros), que está em pré-lançamento. Entre os assuntos, a apresentadora de TV, hoje com 57 anos, aborda dois que têm lhe custado caro ao longo da carreira: a relação com Marlene Mattos, sua ex-diretora (e, pode-se dizer até, ex-comadre), de quem era muito próxima e com quem rompeu; além do filme “Amor Estranho Amor”, do cineasta Walter Hugo Khouri, em que ela atuou, em 1982, aos 18 anos, antes de se tornar a Rainha dos Baixinhos. No filme, Xuxa contracena com um ator de 12 anos numa cena de sexo que repercute há anos e é usada para atacá-la.

A colunista de TV de O Globo, Patrícia Kogut, entrevistou Xuxa por ocasião do livro e perguntou se, agora, ela se sente mais segura para falar sobre o controverso filme “Amor, Estranho Amor”:

“Fico chateada quando falam do filme que fiz quando tinha 18 anos. Eu queria deixar claro: não transei com um menino e não fui vendida para um prostíbulo. Minha personagem foi vendida para um prostíbulo, coisa que acontece hoje em dia. Aquilo é ficção, mas é a realidade de muita gente hoje em dia. Então, vamos falar das meninas e meninos explorados sexualmente. Vamos levantar a poeira para que as pessoas tenham vergonha de achar que isso é normal. Não é normal uma criança ser vendida para algum adulto. Eu fiz o filme quando eu tinha 18 anos, e estou com 57. Ou seja, quase 30 anos depois e essa coisa continua sendo normal? Não é!”

Xuxa continuou: “As pessoas não assistem ao filme. Elas veem um trecho e repetem aquilo com maldade. Com a vontade que as pessoas têm em destruir, e não de construir. Esse mundo está meio esquisito. Mas você paga um preço pelas coisas boas que tem”. E desabafou mais: “Eu sou criticada sobre o que eu fiz ou não fiz. E não importa o que eu venha a fazer de bom, vão lembrar das coisas ruins”.

Na entrevista, Xuxa contou que fez o filme a pedido de Pelé, com quem namorava à época e que não gostou da experiência, por isso não deu seguimento à carreira de atriz. “Fiz o filme porque o Pelé me pediu. Não curti a maneira como eu fui tratada. Vi que aquilo ali não era o meu barato. Tanto é que depois comecei a trabalhar para crianças.”

Marlene Mattos

Perguntada por Patrícia Kogut sobre o porquê da menção a Marlene Mattos, no livro, ser rápida, Xuxa disse que seria anormal não falar sobre ela assim como falar demais. Considerou também que a história, que culminou com um sério rompimento, não é só sua, mas também da ex-diretora, e assim escrever mais abriria o risco de expô-la e desrespeitá-la.

“Você fala o que você quer e dá importância a quem gostaria. Não falar dela não seria normal. Falar demais seria anormal também. Porque eu acho que as pessoas já viram e souberam o que aconteceu [o rompimento]. É difícil falar porque expõe o outro. A história é dela também. Já vi livros de pessoas que descrevem relacionamentos. Não concordo com isso. Você sabe se a pessoa queria que você contasse? Tem que respeitar!”, disse Xuxa.

Compartilhe
Tags:
Publicado por
Romero Rafael

Comentários