"TEM ALGUÉM AÍ?"

Produtora LGBT 7ª Arte do Vale lança o curta de terror “Ar”, baseado em medos durante o isolamento social

Produtora LGBT 7ª Arte do Vale lança o curta de terror “Ar”, baseado em medos durante o isolamento social

Still de "Ar" - Foto: Divulgação

Publicado em Cinema 6/08/2020 às 12:48

A 7ª Arte do Vale, produtora recifense de conteúdo audiovisual LGBTQIA+, lançou o curta-metragem de terror “Ar”, contemplado pelo edital Cultura em Rede, do Sesc-PE. Escrito, dirigido e gravado por Marcelo Oliveira e William Oliveira – idealizadores da produtora independente e também atores -, o filme foi inteiramente realizado durante este isolamento social usando uma câmera e quatro luminárias.

“Ar” traz à tela o personagem Gleydson, artista independente de 35 anos, gay e morador do bairro da Boa Vista, no Centro do Recife. Vivendo sozinho na quarentena, ele enfrenta medos – sobretudo, o de morrer. Para explorar essa situação, Marcelo e William Oliveira deram ao roteiro o tratamento de um terror psicológico, tendo como referência filmes slasher dos anos 90 – subgênero do terror marcado por assassinos psicopatas e mortes aleatórias.

Artistas independentes, gays e vivendo em isolamento, Marcelo Oliveira e William Oliveira, de alguma forma, colocam em “Ar” vivências e subjetividades relacionadas a medos e crises de ansiedade experienciadas por eles mesmos e também relatadas por amigos LGBTQIA+ nessa quarentena.

LEIA TAMBÉM: Psicólogo alerta para saúde mental da população LGBTQIA+ na quarentena

Sobre a parceria com o Sesc-PE, Marcelo Oliveira ressalta a importância da de apoio à produções feitas por pessoas LGBT+, para a representação da comunidade no audiovisual. “É importante, principalmente nesse momento político, de incentivos cortados para conteúdos LGBTs, que a gente possa protagonizar histórias que até então são representadas por modelo heteronormativo.”

Para William Oliveira, o curta é uma forma de comunicar a importância de respirar em momentos mais difíceis, como este. “Nas primeiras semanas do isolamento social foi assustador sentir o coração acelerar, suar frio e ter um medo inexplicável da morte. Tive sorte de ter um companheiro ao meu lado, mas imagino o quanto deve ter sido difícil para o LGBTQIA+ que esteve sozinho ou que conviveu com uma família preconceituosa.”

Outros trabalhos

Além de “Ar”, durante este isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus, a 7ª Arte do Vale produziu também os curta-metragens “A Invasão”, “O Toque” e “Bom Ar”.

LEIA MAIS: O que significa cada letra da sigla LGBTQIA+?

Assista ao curta “Ar”:

CONHEÇA OUTRO PROJETO IDEALIZADO DURANTE A QUARENTENA:

Ágora Sonora explora formato de shows online e já contribuiu com mais de 90 artistas

Compartilhe
Publicado por
Romero Rafael

Comentários