CAUSAS SOCIAIS

Emicida ‘dá aula’ sobre racismo e desigualdades sociais no Domingão do Faustão

Emicida ‘dá aula’ sobre racismo e desigualdades sociais no Domingão do Faustão

Emicida participou do Domingão do Faustão (Foto: Reprodução/TV Globo)

Publicado em Famosos TV 15/06/2020 às 10:15

“Todas as pessoas estão sujeitas a se contaminar com o Covid-19; mas nem todas as pessoas podem se tratar após se contaminar”. Essa foi uma das reflexões pertinentes feitas pelo cantor Emicida, que participou do Domingão do Fausão no domingo, 14.

LEIA TAMBÉM: #JustiçaPorMiguel: famosos exigem justiça pela morte da criança que caiu de prédio no Recife

Na conversa com Fausto Silva, o rapper abordou sobre a situação atual do país, racismo e desigualdades sociais. Para ele, o atual momento de isolamento social causado pelo coronavírus evidencia essas mazelas socioeconômicas.

“A gente está vivendo um paradoxo triste. Por um lado, a gente enfrenta um vírus que se espalha muito rápido, mas que não tem uma letalidade tão grande. Agora, o que é extremamente letal são os abismos sociais que a nossa sociedade produziu e finque que não existe”.

Emicida ainda fez questão de relembrar o caso de George Floyd – ex-segurança assassinado durante operação policial. O cantor ainda diferenciou as manifestações nos Estados Unidos, onde ocorreu o caso, e aqui no Brasil. “A gente está tratando de contextos diferentes, embora a opressão racial seja muito presente nas duas realidades. A forma superficial como a qual sociedade brasileira lida com o racismo. A gente finge que isso é um problema de lugares como África do Sul ou dos Estados Unidos”.

Para ele, o caminho ainda é longo para que se exista, de fato, uma igualdade racial. O cenário atual se configura como um ‘tijolinho por tijolinho’ “para essa ponte que vai levar a gente para um lugar melhor”.

Compartilhe
Comentários