AUTOCRÍTICA

Em live, Anitta admite que minimizava o racismo: “achava que estavam se vitimizando”

Publicado em Notas 3/06/2020 às 9:25
Em live, Anitta admite que minimizava o racismo: “achava que estavam se vitimizando”

Muito ativa nas redes sociais, especialmente durante esta fase de isolamento social por conta do coronavírus, Anitta tem feito lives para aprender mais sobre política, para trocar informações e dar acesso também ao seu público que ainda não entende sobre vários assuntos. Nesta terça-feira (2), o tema foi “como pessoas brancas podem combater o racismo?” com participação de duas militantes negras: as advogadas Silvia Souza e Juliana Souza.

Anitta publica imagem “sempre antifascista” e “sempre antirracista” no Instagram

Muito sincera, a cantora admitiu que, em um passado não tão distante, minimizou o racismo e que, apesar de ter ascendência negra, por parte de pai, “não é considerada” uma pessoa negra. E admitiu que não dava muita bola às reclamações de suas bailarinas negras sobre o preconceito. “Achava, ‘Ah, gente, está se vitimizando. Agora, tudo te olham torto porque você é negra. Pensava assim’. Até que a minha bailarina Arielle [Macedo] começou a me explicar coisas. Comecei a perceber muito e fui aprendendo.”

A cantora contou como a sua cabeça começou a mudar em relação ao assunto. “Eu não via que as pessoas faziam isso, até que comecei a me informar, a prestar atenção. A gente só para para ver quando dá atenção para o que a pessoa negra está falando para a gente”, disse. “Eu achava que estavam se vitimizando. (…) Mas o racismo existe mesmo e, por isso, é importante falar.” A artista contou que ouviu de pessoas que era “esperta” por ter bailarinas negras para “não chamar tanta atenção”. “Eu coloquei porque elas são lindas e dançavam bem. Aprendi a dançar com elas. Na época, fiquei revoltadíssima. Nunca falei para elas. Ouvia isso o tempo todo.” Ao fim da conversa, pediu aos espectadores: “Aprenda e se interesse porque existe sim [racismo], por mais que você pense, ‘eu não sou preconceituoso’. Várias atitudes… eu aprendo a cada dia coisas que têm origem preconceituosa. Aprendo a não fazer”.

Anitta contou também que, ao mudar o pensamento sobre o assunto e se informar melhor, agora pretende levantar hashtags nas redes sociais e brigar pelas causa. “Agora eu entro em briga, boto hashtag, faço live”, disse. . Em seguida, justificou sua disposição para o confronto: “Pensei que as pessoas iriam me criticar muito (…) e falei ‘que se dane, já tomo tapa por muita coisa mesmo, vamos embora’.

Leia também:
Paulo Gustavo cede conta do Instagram para escritora negra durante um mês
Após acusações de racismo e assédio por dançarina negra, MC Livinho se pronuncia: “Querem dar fama para a mina?”
Seth Rogen xinga seguidores que criticaram sua publicação antirracista: “Vai se f%der”

Compartilhe
Publicado por
Anneliese Pires

Comentários