VIVÊNCIAS

Apresentador do Se Joga denuncia caso de racismo ao ser confundido com assaltante por um fã

Apresentador do Se Joga denuncia caso de racismo ao ser confundido com assaltante por um fã

O ator Érico Brás (Foto:Reprodução/Instagram)

Publicado em Famosos 27/05/2020 às 11:30

Em entrevista com Fábio Porchat através de uma live, Érico Brás contou sobre sua vivência como um homem negro. O apresentador do Se Joga, da Globo, descreveu casos em que ele classificou como episódios racistas.

LEIA TAMBÉM: Ex-BBB Thelma Assis sofre comentários racistas durante live e desabafa: “Tem acontecido em todas”

Sem especificar o ano, Érico Brás relembrou de quando começou a trabalhar como ator, ainda na Bahia. Lá, ele atuava na peça Bando da Raça, que logo após se apresnetar, saiu correndo para pegar o ônibus.

No entanto, o ator foi parado por uma viatura, que encostou logo em eguida. No veículo havia dois policiais e uma mulher branca, que parecia estar desesperada. Ela apontou para Érico Brás e o acusou de ter roubado sua bolsa.

Revistado, o apresentador teve sua mochila e pertences revirados, mesmo negando cometer o crime. Por fim, Érico Brás afirmou que era ator e que tinha acabado de sair da peça.

“Ah, menino, é você que faz aquela peça?”, questionou a mulher. “Sim, sou eu que faço o personagem patrocinado”, respondeu Érico Brás. Para provar, ele interpretou ali mesmo, no ponto de ônibus, o personagem. Assim, a mulher voltou atrás com a acusação.

No entanto, o ônibus do ator já havia passado pelo ponto, e era o último daquele ia. “Fiquei sozinho no ponto fazendo o personagem”, contou. Ele chegou a perguntar aos policiais o que fazer, já que havia perdido a volta para casa.

“Se vira, meu irmão, você é artista. Se vira, responderam os oficiais. Após contar a história, Érico Brás ainda relembrou outros casos de racismo; chegando a citar o assassinato de João Pedro, no Rio de Janeiro, que recebeu um tiro dentro da própria casa.

https://www.instagram.
Compartilhe
Comentários