MAIS DO QUE TRETA

BBB20: #ForaBabu bombou no Twitter; situação entre ele e Thelma impulsionou

Publicado em BBB20 14/04/2020 às 16:01
BBB20: #ForaBabu bombou no Twitter; situação entre ele e Thelma impulsionou

Babu é visto como preferido a ganhar o prêmio do "BBB20" - Foto: reprodução do Instagram @babusantana

Favorito a ganhar o prêmio de R$ 1,5 milhão do “Big Brother Brasil 20”, Babu Santana é menos maioria do que se imaginava. A hashtag #ForaBabu ficou entre as mais publicadas no Twitter, no Brasil, nesta terça-feira (14), dia em que ele disputa seu 8º paredão – de um total de 13 no “BBB20” – com Gizelly e Mari. A rejeição em hashtag pode ser lida tanto quanto uma estratégia da torcida de Gizelly, que nas enquetes e nos termômetros é tida como a provável eliminada, quanto como resultado de certo mal-estar com Thelma, que teve de votar nele na formação do último paredão.

LEIA TAMBÉM: Globo vaza eliminação de Gizelly no “BBB20” antes mesmo do anúncio oficial

O voto de Thelma em Babu acendeu, certamente, uma das últimas fogueiras do “BBB20” – que acabaria no dia 23, mas foi prolongado para o dia 27. Babu, já no início do programa, deixou claro que protegeria Thelma por uma identificação, por ambos serem pretos, e uma causa maior, o antirracismo. A sister também disse que ele era uma das suas últimas opções de voto, pelas mesmas razões. Até que, por uma dinâmica do reality, os participantes tiveram de votar em pessoas do seu grupo, restando a Thelma optar por Babu ou Rafa.

Por sorteio, Rafa votou primeiro – e, a contragosto, foi em Babu, livrando Thelma, que votou na sequência, também em Babu, justificando a escolha pelo fato de Rafa ter estado junto com ela todo o tempo, sobretudo, nos momentos mais difíceis, como quando recebeu o Castigo do Monstro e foi emparedada; a médica anestesiologista também citou a afinidade com Rafa no modo de pensar (como no vídeo abaixo). Babu, por fim, votou em Rafa, protegendo Thelma.

A votação mexeu com os colegas de confinamento. Babu disse entender a decisão de Thelma, que demonstrou com tristeza o quanto lhe custou a escolha a que foi submetida pela situação criada pelo jogo. Para coroar o dilema, a sister virou alvo de Ivy, outra participante, que a apontou como incoerente no Jogo da Discórdia promovido pelo “BBB20” nesta segunda (13).

Repercussão Thelma x Babu

O voto de Thelma em Babu moveu publicações nas redes sociais. Influenciadores negros escreveram analisando a escolha e a sua repercussão. Emergiram questões raciais e de gênero: a mulher preta julgada por ter feito uma escolha pela amiga branca, baseada por afeto (e, possivelmente, também por gênero), enquanto Babu, homem preto, não é questionado por ter se aliado, também por afeto, a participantes de práticas duvidosas, sobretudo Prior (participante já eliminado), homem branco.

No Twitter, julgamentos (por ter salvado do paredão uma mulher branca, ao invés de um homem preto que nem ela), mas também defesa a Thelma, lembrada por ter defendido Babu diante dos amigos, o que lhe custou ser deixada de lado pela “comunidade hippie” e também passar pelo Castigo do Monstro, um dos episódios que mais exigiram inteligência emocional da participante no jogo. Outros lembraram que, entre Thelma e Prior, Babu falara que protegeria o brother, pela amizade e parceria no jogo. Os mesmos motivos que fizeram Thelma escolhê-lo, ao invés de Rafa.

Veja algumas das postagens publicadas por influenciadores negros:

View this post on Instagram

Thelma e Babu, Não sabemos o que é estar no lugar de vocês, pois decisões são pessoais. O racismo que tanto denunciamos impõe que a nossa subjetividade não seja respeitada. Pensamos diferente, e isso faz parte do jogo. Por outro lado, a narrativa racista nos descreve como iguais “vocês, pretos, são parecidos”, mas não. Pensamos e agimos diferente. Cada um com o seu entendimento de letramento racial, com sua história e isso nos torna humanos. Queríamos que soubessem que estamos aqui, porque irmandade é isso: respeitar escolhas e processos de entendimento do mundo. Nós, negras e negros, experienciamos, violências inimagináveis que reverberam em nossos corpos e imaginários. E, muitas vezes, essa dor é usada contra nós, provocando ódio mútuo. Nesse momento, Babu considerou que raça vem antes de gênero, e se articula nesse ideal; Thelma faz ao contrário, ao considerar a questão gênero para esse voto. Parte do jogo complexo que o racismo nos submete. Babu já optou por gênero, quando se aliou aos homens brancos na casa, e Thelma já privilegiou a raça ao comprar briga de Babu com as mulheres e dizer que não votaria nele. As diferentes opressões se atravessam, e é importante refletir para compreender. E lembrar que Thelma é uma mulher negra que divide com Babu as castas mais baixas da pirâmide social de opressões. Considerar as complexidades é fundamental para lidar com a interseccionalidade que, estatisticamente, não se sustenta, mas ajuda na análise. A certeza é que nessa trama, o racismo nos impede de falhar, de expressar nossa humanidade. Seja militante ou não; médica ou ator: o direito ao erro é negado a nós. Queremos que saibam que é normal errar e que as nossas escolhas frustem alguns. Sabemos que vocês não se odeiam: apenas escolheram estratégias diferentes num reality show. Estar no sofá do #BBB com câmeras e microfones te focando não é a mesma circunstância do sofá de casa onde não somos julgadas. Seguimos com #Thelma e #Babu até a final. @potencianegras #potênciasnegras #racismo #poderparaopovopreto #nóspornós #somosplurais

A post shared by Maíra Azevedo (@tiamaoficial) on

View this post on Instagram

Qual seria a escolha certa de #thelma?? Se ela escolhesse Rafa, seria acusada de falsa, de ingrata. Não é possível esquecer que Rafaela deu a mão a Thelma em situações tensas e quando a médica se sentiu só. A verdade é que naquela situação qualquer escolha seria dolorosa. É lógico que ela poderia ter pensado em poupar Babu de mais um paredão, mas deve ter sido super tenso fazer alguma escolha após ter sido salva pela influenciadora. Thelma foi coerente! Aquela dinâmica foi pensando para criar discórdia e fragilizar ainda mais os jogadores. A grande questão é o peso que colocam nas escolhas dela! O que vem antes na discussão?Gênero ou raça?Babu se aliou aos caras considerados escrotos da edição, mas todo mundo entendeu por ter sido uma moleta afetiva para ele. A mulher negra não pode cometer um equívoco que entra na narrativa de vilanismo! Torço por Babu, quero que ele ganhe inclusive, mas de forma alguma vou culpabilizar Thelma.A condenação com as mulheres pretas são sempre mais incisivas! É lógico que eu preferia que Thelma tivesse sido pautada pelo quesito raça, mas isso não a torna uma capitã do mato, ou uma escrota, ela fez uma escolha diferente da minha. A mão que está julgando Thelma só atesta que muitos de nós esquece que existe uma diversidade no nível da consciência racial e que de fato mulheres negras são muito mais vulneráveis em toda sociedade, são a base da pirâmide e condenada por todos. Fazer o debate racial é entender que nem toda pessoa preta vai seguir a cartilha da militância e mesmo assim, será o alvo do racismo! E no caso, de nós mulheres pretas, temos que lutar contra o racismo, o machismo e a misoginia. Existem um afã em definir a médica como traidora da raça, quando ela optou ser fiel ao debate de gênero. Sua escolha não está errada, difere da minha, mas faz sentido a sua trajetória no jogo. ✊🏾 Mas, no final Babu ficou ainda fica muito mais fortalecido, e se consagra campeão. Quem de fato tem consciência racial não condena uma mulher preta! Sigo com minha torcida por Thelma e Babu no bbb e na vida! #bbb20 #teambabu #teamthelma #mulhernegra #bigbrotherbrasil #babusantanaa #militancia #thelmaassis #blackpower #podernegro

A post shared by Maíra Azevedo (@tiamaoficial) on

View this post on Instagram

Te devo um pedido de desculpas, por tudo que disse ontem e principalmente por dizer que a Questao racial é a maior de todas as bandeiras! Consciencia racial se aprende durante a vida, quando se tem a sorte de ter pessoas que nos ensina isso desde pequena é maravilhoso! Mas, ha aqueles que so consegue no decorrer que vai indentificando o quanto de perverso o racismo pode ser e que ele tem mil faces tambem! Eu ontem ao dizer que te larguei de mao, infrigi um mandamento pessoal meu que é nunca abrir mao dos meus, nao se larga uma mulher negra da forma que eu e um monte fizemos ontem! Precisamos buscar no acolhimento a compreencao de seus porques??? Voce de todo jeito seria metralhada porque tambem nao se trai uma amiga a quem te dedicou horas no confinamento onde a eleita por voce como melhor amiga preferiu mimar um big fone de que voce! Entao eu estou aqui, to aqui porque vi que na questao racial eu tenho muito ainda a que me letrar! Eu tenho que muito trilhar na estrada do respeito a escolha alheia, da sororidade e acima de tudo na consciencia imediata das armadilhas que a branquitude nos impoe! Eu nao te cancelei, mas te julguei! Mas volto hoje mais forte do que nunca dizendo que todo mundo erra, todos tem direito de errar e que nao devemos cobrar perfeicao de ninguem, nem querer que eles ajam como nos agiriamos. Eu hoje com um pouco mais de pretitude que salta das palavras sou ate o fim @thelminha_assis e @babusantana meus finalistas, meus campeoes nao so do #bbb20 mas da vida assim como eu e todos os negros que conseguiram chegar ate aqui vivos num país como esse! Agora mais do que nunca @gshow e vota #foragizelly 📸@atilabrittoo

A post shared by Dona Carmem Virginia (@carmemvirginia) on

View this post on Instagram

Já podemos criar a categoria "militantes de Taubaté"? Porque bater em mulher preta, falar que ela negou o "aquilombamento" num reality show é demais pra mim. E olha que eu já vi de tudo. Aquilombamento no BBB, um programa branco, dentro de uma estrutura da mídia hegemônica? Zumbi dos Palmares não merecia isso. Agora, cadê esse povo pra responsabilizar o programa pela falta de participantes negros? Pra responsabilizar o programa por permitir falas racistas lá? E ainda, por não se posicionar perante os ataques horrendos que Thelma está sofrendo? Isso, os militantes de Taubaté não fazem e juram que são antirracistas ao açoitar a mulher negra enquanto NÃO COBRAM a estrutura e ainda ficam gerando PUBLICIDADE GRATUITA. Pior, sendo influenciados por quem REALMENTE está ganhando pra isso. Ou seja, os militantes de Taubaté ajudam a enriquecer o programa açoitando uma mulher preta. Olha, que revolucionário! Aliás, não responsabilizam o programa por ter colocado um cara acusado de estupro lá. Aliás, cuja a ganhadora do ano passado é uma racista. Nossa, realmente, a "revolução quilombola" virá daí. Aqualtune não merecia isso. "Entre raça e gênero, eu escolho raça!", alguns dizem. Nossa, militou todo. Minhas deusas, é um reality show e não uma prova sobre questões raciais! (Que inclusive, vocês seriam reprovados). Parem de cobrar que as pessoas negras sejam militantes. Ou vocês nasceram sabendo tudo, os ISO 9001 da militância? Cadê a generosidade em acolher? Pessoas negras são sujeitos, negar nossa multiplicidade é legitimar a visão colonial. Como diz Grada Kilomba, descolonizem as mulheres negras. Daí a gente manda ler e nos chamam de arrogantes. Ora, se tem dados pra ficar destilando ódio e servindo à estrutura racista, poderia ler textos na internet. Cada "análise" que li sobre feminismo negro de fazer Lélia Gonzalez se remexer no túmulo. Vão estudar! Nada mais colonial do que achincalhar mulher preta. É um jogo, um jogo!!!! E vocês são as marionetes perfeitas, os feitores recebendo ordens do sinhô. Pronto, falei. Voltemos à nossa programação normal de falar do que realmente importa! Tenho livro de pessoas negras pra publicar.🤦🏾‍♂️🤦🏾‍♂️🤦🏾‍♂️ #vergonhaalheia

A post shared by Djamila Ribeiro (@djamilaribeiro1) on

Compartilhe
Tags:
Publicado por
Romero Rafael

Comentários