HISTÓRIA DA TV

Ex-paquitas revelam bastidores do “Xou da Xuxa” sobre Marlene Mattos e demissão coletiva

Publicado em Notas 13/04/2020 às 20:10
Ex-paquitas revelam bastidores do “Xou da Xuxa” sobre Marlene Mattos e demissão coletiva

Paquitas do fim dos anos 80 para o início dos anos 90 - Foto: reprodução

Tem dado pano pra manga as lives que Andréa Sorvetão, uma das primeiras paquitas do “Xou da Xuxa”, tem feito no Instagram, nesta quarentena. Ela convida outras ex-paquitas para a transmissão, e então histórias de bastidores vão emergindo e sendo reveladas. Uma delas foi a demissão coletiva das paquitas, em 1995, sem aviso prévio. “Nossas cabeças foram arrancadas de uma hora para outra”, lembrou Cátia Paganote, apelidada de Miúxa, sobre o episódio.

Na época, contou outra ex-paquita, Priscilla Couto, a Catuxita Top Model, o 3º disco do grupo não saía, e o You Can Dance, grupo de dança formado por homens, estava ganhando mais espaço no “Xou da Xuxa”, impulsionado pelo sucesso do funk. Daí que, para movimentar, elas resolveram montar uma peça à la “Confissões de Adolescente”, em que contariam suas histórias. Marlene Mattos, a famosa diretora do de Xuxa, soube do projeto por uma fofoca recebida em telegrama. Decidiu demitir todas.

“Marlene [Mattos] estava muito rígida nessa fase, pegando pesado. Uma das meninas mandou esse telegrama dizendo que existia o projeto de um livro e da peça, distorcendo tudo”, disse a ex-paquita Ana Paula Guimarães, a Catuxa. Outra do grupo, Roberta Cipriani – a Xiquitita Surfista – recorda: “O clima foi horrível. Todo fim de ano existia a tensão para saber quem ficava e quem saía. Mas, naquele momento, o susto foi todo mundo ir embora junto”.

A demissão coletiva das paquitas da época fez abrir uma nova seleção. O grupo que sucedeu ficou conhecido como New Generation.

LEIA TAMBÉM: Xuxa reúne ex-paquitas em foto inusitada e revela desejo

Marlene Mattos

Por falar na diretora Marlene Mattos, seu nome foi lembrado em todas as lives feitas por Andréa Sorvetão com outras ex-paquitas. A própria Sorvetão conta que, na sua saída, em 1990, não pôde se despedir das colegas. Sua demissão teria ocorrido porque ganhara muito espaço. E ela desabafou sobre a mão de ferro de Marlene: “A gente não fazia coisas para ser humilhada daquela maneira. Ela vinha com muita agressividade”.

Ana Paula Guimarães recorda que a atriz Letícia Spiller, também ex-paquita, deixou o grupo depois de uma briga com a diretora. Roberta Cipriani não voltou a falar mais com Marlene desde a sua saída, há 25 anos. “Marlene não sabia falar com a gente e muitas vezes eu ia para casa chorando”, confessa, tantos anos depois.

Compartilhe
Publicado por
Romero Rafael

Comentários