JUSTIÇA

Felipe Neto doará indenização paga por deputado que o difamou: “Vitória”

Publicado em Famosos internet Notas Política 18/03/2020 às 19:22
Felipe Neto doará indenização paga por deputado que o difamou: “Vitória”

Felipe Neto ganha processo contra deputado do PSL. Foto: Reprodução/Instagram

Nas redes, Felipe Neto comemorou sua vitória no processo contra o deputado Carlos Jordy (PSL- RJ) e afirmou que doará a indenização de R$ 35 mil pagos pelo político para o Instituto Marielle Franco e o projeto Ocupa Sapatão. “A ideia é usar o dinheiro de um deputado reacionário, hostil e que constantemente luta contra tudo o que Marielle representava, a favor dela”, explicou o youtuber e empresário, que possui mais de 36 milhões de inscritos em seu canal.

LEIA MAIS: Com suspeita de coronavírus, Débora Nascimento se afasta da filha e procura ajuda médica

Inicialmente, Neto pediu R$ 50 mil de indenização por danos morais, mas a juíza Bianca Ferreira do Amaral Machado Nigri, da 1ª Vara Cível da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, decidiu por um valor abaixo do requerido. Além da quantia, Carlos Jordy terá que fazer uma retratação pública pela postagem que tentou ligar Felipe ao massacre de Suzano, em São Paulo.

“A sentença foi clara e fez justiça. A juíza corretamente mostrou que o deputado não tem direito a foro privilegiado e imunidade parlamentar quando fala o absurdo que falou publicamente pelo Twitter. Isso é fundamental para a limitação dessa imunidade para esses deputados que acham que estão acima da lei”, contou Felipe, em entrevista ao jornal Extra.

LEIA MAIS: Grávida do primeiro filho, Amanda Bynes não terá a guarda do bebê devido a problemas de saúde mental

Para o youtuber, sua vitória nos tribunais pode servir de exemplo para conter outros políticos mal-intencionados. “Serve de alerta para que os deputados enxerguem que não há imunidade parlamentar para tentar assassinar reputações na internet. São justamente os mesmos deputados que antes pediam o fim do foro privilegiado e agora correm desesperadamente quando são processados por falarem absurdos nas redes sociais”, diz Felipe.

Compartilhe
Publicado por
Igor Guaraná

Comentários