HITS

JS O Mão de Ouro, dos hits ‘Tudo OK’ e ‘Sentadão’: “O bregafunk nunca vai deixar de sofrer preconceito”

JS O Mão de Ouro, dos hits ‘Tudo OK’ e ‘Sentadão’: “O bregafunk nunca vai deixar de sofrer preconceito”

JS O Mão de Ouro. Foto: Divulgação/Felipe Max

Publicado em Entrevista Famosos Música Notas 2/03/2020 às 7:09

Robson Gomes, do JC, especial para o Social 1

Ele tem só 23 anos e foi um dos principais nomes do Carnaval deste ano ao emplacar dois hits no topo das plataformas digitais. Jonathan Santos é o produtor musical conhecido do público como JS O Mão de Ouro. Hoje morando em São Paulo, o jovem pernambucano ganhou destaque ao levar suas batidas do bregafunk aos sucessos do momento Tudo OK (feat. Thiaguinho MT e Mila) e Sentadão (feat. Felipe Original e Pedro Sampaio).

O músico conversou com Robson Gomes, repórter do Jornal do Commercio, e contou um pouco sobre essa boa fase da carreira, que teve início há muito tempo atrás: “O meu primeiro contato com a música brega foi com o meu pai. Ele ouvia de tudo e isso me ajudou muito a criar as batidas depois. A produção musical começou como uma brincadeira de criança, vendo vídeo no YouTube e criando versões de músicas que já existiam. Virou trabalho quando alguns MC’s de Recife me chamaram para criar as bases de suas composições”.

Uma das curiosidades para o JS montar a sua forma de fazer música veio das panelas de sua avó. “Eu levava os meus amigos para a minha casa para brincarmos de produzir. A gente gravava vozes, barulhos e até latidos para montarmos uma música. Um desses sons foi da panela da minha avó, bem estridente e seco. É ele que eu uso até hoje para a batida do bregafunk”, explicou.

Além de ocupar o topo das plataformas digitais com os atuais sucessos Tudo OK e Sentadão – e com mais de 7 milhões de ouvintes mensais só em seu perfil no Spotify – JS justifica o sucesso destas canções: “Tudo OK e Sentadão são dois hits que misturam a música popular do Nordeste com a batida da periferia do Sudeste. Acho que, por isso, todo mundo gostou tanto”.

Thiaguinho MT, Mila e JS O Mão de Ouro, do hit “Tudo OK”. Foto: Divulgação/Felipe Max

Mesmo com o bregafunk em alta através destas canções, o jovem produtor conta que o preconceito ainda existe com o gênero. “Acho que o bregafunk está fazendo o sucesso que o reggaeton fez quando apareceu. Mas, diferente dele, não vai sumir por se tratar de uma mistura brasileira. É uma batida nossa, que nasceu aqui. E embora o bregafunk esteja fazendo sucesso, a música do povo nunca vai deixar de sofrer preconceito”, afirma.

Recentemente, JS O Mão de Ouro produziu junto com Thiaguinho MT, a versão bregafunk do hit Amor de Que, da Pabllo Vittar, lançado às vésperas do Carnaval. “Foi um processo bem legal! Adoro fazer versão de músicas famosas, lembro do meu tempo de escola com os amigos. O sucesso da Pabllo Vittar já estava feito, bastava só botar a nossa cara”, declarou.

E segundo JS, mais parcerias estão a caminho. “Este mês, vai ser lançada a nossa participação no DVD do DJ Rennan da Penha, a música Black Friday de Gostosa. Eu e Thiaguinho MT botamos o Rei do 150 bpm para dançar o passinho do bregafunk”, conta o jovem aos risos, que sonha um dia fazer parceria com o colombiano J Balvin.

Apesar da pouca idade e uma certa timidez, JS O Mão de Ouro está feliz com o sucesso e reconhecimento que o bregafunk lhe deu: “Só tenho agradecido todos os dias. Mesmo sendo tímido, eu trabalhei muito para que esse momento chegasse. Eu adoro o que eu faço, e foi a música que deu melhores condições de vida a mim e à minha família”.

Na mesma conversa, o artista também explicou como nasce uma batida perfeita. “Para mim, uma boa batida é sempre acompanhada da dança. Se tem coreografia, é sinal de que a música é boa”, afirma. E sabe o que tira o produtor musical do sério? “O que me tira do tom é a falta de humildade”, conclui o músico.

Compartilhe
Publicado por
Igor Guaraná

Comentários