Marcelo Falcão e música pernambucana marcam primeira noite de shows no Parador

Publicado em Notas 24/02/2020 às 9:12
Marcelo Falcão e música pernambucana marcam primeira noite de shows no Parador

Foto: DAYVISON NUNES/JC IMAGEMData: 23-02-2020Assunto: SOCIEDADE - Camarote Parador, com Shows de Marcelo Falcão e Nação Zumbi..Palavras-chaves:

Por Ana Thiago

A primeira noite de shows do Parador foi de muita música pernambucana. A festa, que começou nesse domingo (23) e segue até a próxima terça (25), contou com shows de Nação Zumbi, Banda Eddie e Academia da Berlinda, além do cantor carioca Marcelo Falcão, da banda O Rappa, figurinha carimbada no Carnaval do Recife e que sempre arrasta multidões.

Para abrir o evento, fogos de artifício e música olindense com a Banda Eddie. A mistura de ritmos levantou o público por volta das 19h. Com o toque de frevo da música “Vida boa”, ninguém ficou parado. De lá, a banda correu para o Polo do Carmo, em Olinda, onde também se apresentou nesse domingo de Carnaval.

Marcelo Falcão subiu ao palco em seguida e mesclou músicas da carreira solo com clássicos d’O Rappa. “Minha alma”, “Rodo cotidiano” e “Reza Vela” fizeram todo mundo cantar junto. Com simpatia de sobra, o cantor conversou com o público nos intervalos das músicas e elogiou o Carnaval do Recife que, segundo ele, é “o maior do mundo”. “Realizei o sonho de cantar no Galo da Madrugada, no trio com Elba Ramalho”, revelou.

O show também contou com mensagens sobre os desastres naturais do ano passado, como o óleo nas praias do Nordeste e as queimadas na Amazônia. Falcão aproveitou a performance no Recife para homenagear Chorão, da banda Charlie Brown Jr., falecido em em 2013, e Pernambuco, com projeção da bandeira no telão e saudação a nomes como Lula Queiroga e Francisco Brennand.

Por volta das 22h, Nação Zumbi abriu o show com “Rios, pontes e overdrives”. Com pouca interação, a banda liderada por Jorge Du Peixe também trouxe clássicos e canções do último disco, “Nação Zumbi”, cujas músicas eram cantadas em uníssono. Com direito à ciranda em “A Melhor Hora da Praia” e muita animação em “Meu Maracatu Pesa uma Tonelada” e “Quando a Maré Encher”, a apresentação foi frenética. O combo “A Praieira” e “Maracatu Atômico”, músicas que também podem ser consideradas símbolos do Carnaval pernambucano, marcou o fim da apresentação.

Nos intervalos das atrações, o DJ 440 comandava o palco com muita música brasileira pra dançar. Fechando a noite, a banda Academia da Berlinda agitou o público com muita cumbia para dançar sozinho ou de rosto colado. Destaque para “Dorival”, “Fui Humilhado” e “Cumbia da praia”, que encerrou a noite.

Compartilhe
Publicado por
Anneliese Pires

Comentários