EX-BBB

Pink critica trabalho político do seu ex-amigo Jean Wyllys: “Bandeira da vergonha”

Publicado em Famosos Notas Política 21/01/2020 às 16:45
Pink critica trabalho político do seu ex-amigo Jean Wyllys: “Bandeira da vergonha”

Tati Pink critica ex-colega Jean Wyllys. Foto: Divulgação/TV Globo/PSOL

Em entrevista ao UOL, Tati Pink, pernambucana ex-participante da 5ª edição do Big Brother Brasil, falou sobre sua experiência 15 anos depois do reality. Na casa, Pink era amiga de Grazi Massafera e Jean Wyllys, mas afirma que não manteve contato com nenhum deles depois do programa.

LEIA MAIS: YouTube censura clipe de Pabllo Vittar e cantora desabafa: “Isso não vai ficar assim”

“[…] Grazi para mim é uma mulher de grande sucesso porque foi Miss, participou do Big Brother e quebrou grandes barreiras. Eu respeito a história dela. Para mim, ela é a garota propaganda número um do Brasil”, disse Pink, que possui uma opinião diferente sobre o seu ex-amigo Jean.

“Não vou ser amiga de uma pessoa que se corrompe, que gosta de falar mal dos outros”, disparou a Ex-BBB. “No caso de Jean, não acho que ele tem grande sucesso. Não acho que ele teve uma influência positiva na política e nem que colaborou para grandes coisas. Ele levantou uma bandeira da vergonha, que deixou de ser colorida para ser vermelha. Acho que ele mudou de lado. Ele não é um político de grande sucesso”, completou Pink, que hoje é empresária.

A política foi um erro

Ainda em suas palavras, Tati criticou o ex-colega de programa por ter renunciado seu cargo de deputado federal (PSOL) após ameaças de morte. “Como você pega o número de votos que ele teve [24.295, nas últimas eleições] e, independentemente se está com medo ou não, e diz, ‘muito obrigado, mas eu não quero estar aqui porque estou com medo e sofrendo ameaças’. Não concordei”, decretou.

LEIA MAIS: “Coração dividido”, diz Louro José sobre nova parceria com Palmirinha

“Não é fácil para ninguém. Já pensou se me ligassem e falassem, ‘você abandona os seus filhos ou vou lhe matar’. Quem é a mãe que faz isso? Acho que faltou para ele responsabilidade com as pessoas que votaram e confiaram nele”, acrescentou Tati, que se diz ‘neutra’ no campo político. “Não gosto de ser representada por homens. Não gosto de pessoas mentirosas, que para se elegerem falam o que as pessoas querem escutar. Eu odeio gente radical”, finalizou.

Compartilhe
Publicado por
Igor Guaraná

Comentários