SAÚDE E BELEZA

O combo perfeito para proteção solar

O combo perfeito para proteção solar
Publicado em Notas 11/11/2019 às 10:15

Não só pelo fato de diminuir imediatamente os danos do sol à pele, o uso do protetor solar, diariamente, é indispensável. Os filtros também ajudam – e muito- a prevenir o envelhecimento precoce, a proteger contra o câncer de pele e a manter a saúde do maior órgão do corpo.

Mas, você sabia que nem o filtro solar, aquele que você compra na farmácia, não é capaz de transferir para a pele 100% do fator de proteção que apresenta no rótulo? “Quando você aplica o protetor na pele consegue usufruir 30% a menos do fator de proteção. Para você conseguir a cobertura maior no rosto, por exemplo, você precisaria aplicar uma colher de chá e se lambuzar de produto. Coisa que acaba não sendo viável no dia a dia”, explica a dermatologista Fábia valente.

A solução, então, é você se proteger em várias etapas. Uma delas é o protetor solar oral, que, na verdade, é uma antioxidante que promove uma barreira interna à radiação solar. A cápsula de polypodium leucotomos, uma planta originária da América Central, apresenta propriedades anti-inflamatórias, sendo considerada o primeiro fotoprotetor oral com eficácia aprovada pelos dermatologistas.

Estudos científicos demonstraram que o polypodium leucotomos é capaz de bloquear o excesso de produção de leucotrienos, uma das causas da vermelhidão da pele. Seu uso reduz o impacto dos raios ultra violetas (UV) sobre as células epiteliais, preservando os fibroblastos e mantendo sua capacidade de produzir colágeno. Por ter propriedades antioxidantes, inibe a liberação da enzima responsável pela quebra de fibras de colágeno e elastina, principal causa do envelhecimento causado pelo sol, preservando o sistema cutâneo.  “Desta forma, ele protege DNA celular e age como imunomodulador e cicatrizante”, esclarece Fábia.

Não há nenhuma contra-indicação ao uso do polypodium leucotomus. “Qualquer pessoa pode tomar, especialmente aqueles paciente que têm pele muitos sensíveis, com tendência a manchar,  que sofrem erupções na pele sob o sol,  como alergia chamada erupção polimorfa à luz”, explica. O ideal, segundo a dermatologista, é começar a tomar as cápsulas 30 dias antes da exposição solar, mas estudos mostram que elas mostram-se eficazes com a ingestão com duas horas de antecedência.

Além da aplicação do filtro solar e consumo dos comprimidos, há, também, ativos que potencializam a proteção ao sol, como por exemplo, a vitamina C. “É um poderoso antioxidante que diminui a formação e o acúmulo de radicais livre na pele, responsáveis pelo envelhecimento precoce e pelas manchas na pele”, explica a médica.

Além disso tudo, a maquiagem também funciona como uma barreira amais para a radiação solar. “Por isso, os filtros com cor protegem melhor daluz visível. A maquiagem associada ao protetor funciona como uma barreirafísica, que você pode usar tanto aquelas que já vem dentro do protetor ou usarpor cima do protetor”, indica Fábia Valente.

Dessa forma, anote aí a receita para o combo perfeito de proteção solar: protetor em cápsulas (polypodium leucotomus) + vitamina C + protetor solar + maquiagem.

Leia também:
Esfoliação: o que é e para que serve
Sensação de verão o ano inteiro na pele
Máscaras faciais realmente funcionam?

Compartilhe
Publicado por
Anneliese Pires

Comentários