história

Raul Seixas pode ter entregue Paulo Coelho para a ditadura; escritor comenta o caso

Raul Seixas pode ter entregue Paulo Coelho para a ditadura; escritor comenta o caso

O escritor Paulo Coelho (Foto: Reprodução/Instagram)

Publicado em Famosos Literatura Música 24/10/2019 às 9:39

Tudo começou quando uma reportagem que faz parte do livro ‘Não Diga que a Canção Está Perdida’ foi publicado pela Folha de São Paulo. Na última quarta (23), o material de Jotabê Medeiros levantou a hipótese de que o cantor Raul Seixas, o eterno ‘Maluco Beleza’, teria delatado seu amigo e parceiro Paulo Coelho para a ditadura militar.

LEIA MAIS: Fernanda Montenegro agradece pelas mensagens de parabéns: ‘Vamos ficar no 90’

A repercussão sobre a possível atitude de Raul Seixas ganhou mais força após um comentário ambíguo do atual escritor. No seu Twitter, Paulo Coelho citou a matéria, comentando: “Fiquei quieto por 45 anos. Achei que levava segredo para o túmulo”.

Vale ressaltar que Paulo Coelho foi preso e torturado em maio de 1974. Na época, sua namorada Aldagisa Rios também foi detida.

“Não Diga que a Canção Está Perdida” descreve que Raul Seixas foi chamado para depor no Departamento de Ordem Policial e Social, pouco tempo antes de seu colega ser preso.

LEIA MAIS: “Show de Sucessos”: Zé Ramalho volta ao Recife com turnê inédita

Com a polêmica instaurada, muitos internautas opinaram sobre a atitude de Raul Seixas, alguns acusando-o de ‘X9’ ou delator. Paulo Coelho voltou para o seu Twitter. “Já tinha conversado com Raul a esse respeito e águas passadas não movem moinhos”, declarou.

O documento que o autor cita se trata de um registro que relata como a polícia chegou até Paulo Coelho, através de um “intermédio do referido cantor”, que seria Raul Seixas.

LEIA MAIS: Cantor Walter Franco morre aos 74 anos

Na época, o cantor e o compositor se afastaram após o acontecimento. No entanto, um ano depois voltaram a trabalhar juntos, compondo o clássico “Há 10 mil anos atrás”, em 1976.

Compartilhe
Comentários