Fondue: de prima-dona maçaricado a pão australiano, há novidades no Recife

Fondue: de prima-dona maçaricado a pão australiano, há novidades no Recife

Fondue de queijo prima-dona, do Fondue Casa Forte - Foto: Dayvison Nunes / JC Imagem

Publicado em Galerias Gastrô 13/06/2019 às 8:00

O inverno está perto (começa, oficialmente, no dia 21), apesar de a sensação térmica no Recife não vir arrefecendo nem um grau (com exceção desta quinta, 13, chuvosa). E, então, é tempo de fondue, prato suíço que sustenta casas de janeiro a dezembro, mas tem seu auge nessa época do ano.

Quando dá maio, e com ele a ameaça de uma brisa mais fria, prontamente, as mesas do Fondue Casa Forte, por exemplo, passam noites mais bem ocupadas. Essa força sazonal segue até agosto, o “mês dos ventos”, conta Caio Sotero, um dos sócios da casa, que abriu as portas há uma década.

A casa, localizada na Zona Norte do Recife, lançou novidades no menu para comemorar os dez anos e re-fidelizar seus clientes, tantos os leais, do ano todo, quanto os sazonais, desta época. São boas-novas que agregam ainda mais valor às versões do prato.

O fondue de queijo – que, pelo que consta, é o original; feito normalmente da fusão de gruyère com emmental – ganhou versão promovida, à base de prima-dona. O processo na cozinha é igual: dilui-se ao vinho branco e com jeito na mexida. Esse, em especial, carece de uma maior atenção, por se tratar de um queijo do tipo duro, classe daqueles que são maturados por um longo tempo, e por isso também têm aroma e sabor mais acentuados (leia-se, inclusive, mais salgado).

Finalizado com uma maçaricada, já à mesa, o fondue de prima-dona é acompanhado por pão, batata-inglesa em conserva (aliás, que surpresa guarda essa combinação) e goiabada, num romeu e julieta, uma das harmonizações mais exatas da gastronomia.

O cardápio de novidades avança pelo black angus, da estimada raça bovina britânica, que chega macia, macia, para ser levada à pedra-sabão e degustada ao sortimento de 12 molhos (com especial atenção ao de cebola agridoce) mais guarnições volantes: saladas, batata frita e espaguete à manteiga ou ao alho e óleo. Aqui, um trivial de muito gosto.

A depender da disposição da pessoa, a farra gastronômica acaba no fondue de Ninho com Nutella, dois sucessos das sobremesas de hoje em dia. No interior da caquelon (a panelinha), vai o creme de avelã por baixo do outro, que é feito à base do leite em pó – este também vai por cima polvilhando e formando aquela farofinha… se é que me entende.

Outback também tem fondue

Fondue salgado do Outback – Foto: Divulgação

A rede de restaurantes Outback, de culinária australiana, criou afeição pelo fondue e seus seguidores. Até o fim de julho, pelo menos.

No caso dela, há grandes adaptações. Não há rechaud (onde põe o fogo) nem caquelon. O fondue de queijo é à base de um mix mais o molho ranch, um dos hits da casa, servido no interior de um pão australiano (outro hit).

Para quem já conhece a rede, não há erro: os acompanhamentos são também sucessos consolidados – a costelinha, na versão Royal Bites, em cubo e empanada do mesmo jeito da cebola Bloomin’ Onion; mais tiras de mignon, cubos de frango grelhado e camarões empanados.

Versão doce do fondue do Outback – Foto: Divulgação

Na versão doce, o molho de chocolate também vem dentro do pão australiano, onde se pode envolver morangos, rodelas de banana, marshmallows tostados (dica: experimente eles primeiro) e ainda brownies de chocolate e de doce de leite. Jarmeson Silva, sócio-proprietário da unidade do RioMar, conta que o prato é sucesso desde o primeiro dia, quando lançado agora em junho. Quer chova ou faça calor.

Compartilhe
Publicado por
Romero Rafael

Comentários
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com