Aos 43 anos, Siri na Lata carnavaliza do frevo ao axé, do pop ao brega

Aos 43 anos, Siri na Lata carnavaliza do frevo ao axé, do pop ao brega

Daniela Mercury agitou o Baile do Siri na Lata. Foto: JC Imagens/Dayvson Nunes

Publicado em Carnaval 2019 Eventos Galerias Música Notas Shows 23/02/2019 às 10:43

Com mais de 3 horas de show, com direito a muita bandeira do arco-íris e axé, a baiana Daniela Mercury sacudiu a 43ª edição do Siri na Lata, nesta sexta-feira, no Clube Português. Ativista da causa LGBT, Daniela trouxe protesto e um grande publico de fãs e simpatizantes ao movimento, que tomaram a pista do clube.

Luciano Meira e Paulo Braz, ambos de renda vermelha, na festa do Siri. Fotos: Dayvison Nunes/JC Imagem

Antes dela, o dj Aslan Cabral já esquentava o salão. Almir Rouche, um senhor anfitrião, segurou o bastão e foi responsável por misturar o frevo a outros ritmos no palco e dar uma cara mais eclética ao baile.

A cunhada de Ivete Sangalo, Lívia Cady, com Romero Ferro. Foto: Dayvison Nunes / JC Imagem

Por lá passaram do pop-brega de Romero Ferro ao samba de Gerlane Lops, a homenageada deste ano do Carnaval do Recife. Destaque para a apresentação de DudaBeat, curtinha, mas ovacionada.

Caio Braz e Allan Machado curtiram a festa.

Daniela subiu ao palco convidada por Caio Braz, apresentador do GNT e filho de Paulo, um dos organizadores da festa. Chegou com seu axé, cantou, dançou, interagiu e militou. “O bloco se reencontrou com a sua origem, que é a luta contra a ditadura desde 1976. A gente vem cada vez mais privilegiando as minorias. E essa é a mensagem que a gente quer passar, de amor e liberdade”, disse Caio, que está na cidade acompanhado de amigos e da cunhada de Ivete Sangalo, Lívia Cady.

Depois de Daniela, com o dia quase já claro, foi a vez do Samba do Preto Velho animar os resistentes, que não queriam arredar o pé.

Camarotes

Fantasias tradicionais e mais ousadas deram o tom da festa

Outrora super concorridos, cheios de convidados “polêmicos” (que eram atrações à parte), políticos e gente da sociedade, os camarotes do Clube Português não “bombaram”. Lá de cima dava pra ver a animação da pista sem concorrência. Muita gente subia só pra dar uma refrescada. A área, que existe há três anos, divide o lugar com o espaço open-bar. Registrados nomes como Antônio Lavareda e Cacyone Gomes, Jarbas e Jarbinhas Vasconcelos, Silvio e Luciano Meira, fora os amigos e convidados dos anfitriões da festa. Veja mais na galeria abaixo.

Compartilhe
Comentários
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com