publicidade
01/01/19
o governador Paulo Câmara ao lado da vice-governadora, Luciana Santos. Dayvison Nunes / JC Imagem
o governador Paulo Câmara ao lado da vice-governadora, Luciana Santos. Dayvison Nunes / JC Imagem

Paulo Câmara toma posse para seu segundo mandato como governador de Pernambuco

Publicado por Anneliese Pires em Galerias às 18:05

Numa cerimônia rápida, mas bastante prestigiada, Paulo Câmara foi reconduzido ao cargo de governador de Pernambuco, nesta terça-feira (1), no edifício Miguel Arraes, sede da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), no Centro do Recife. O chefe do executivo estadual chegou acompanhado da mulher, Ana Luiza, e das filhas, Clara e Helena. Junto com ele, estava a vice-governadora, Luciana Santos, de mãos dadas com a filha, Luana.

Foto: Dayvison Nunes / JC Imagem

Em seu discurso, começou lembrando a memória de Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco, morto em acidente aéreo em 2014, e o legado deixado por Miguel Arraes, um dos criadores da Frente Popular de Pernambuco. Também fez questão de agradecer a Raul Henry, que deixou o cargo de vice-governador, pelo “companheirismo, lealdade e capacidade de trabalho”.

Paulo Câmara com as filhas, Clara e Helena, a mulher, Ana Luiza Câmara, a vice-governadora Luciana Santos e sua filha Luana

Paulo prestou contas do seu governo, ressaltando, antes de tudo, o contexto de crise econômica que atingiu o País quando assumiu. “Pernambuco não parou de avançar, de servir de referência na gestão pública, apesar da crise tremenda que o nosso País enfrentou e ainda enfrenta. Da qual todos aqui têm a consciência dos seus efeitos devastadores, especialmente na questão do emprego”, disse.

Relembrando a campanha eleitoral, pediu que os palanques sejam desarmados, para abrir, assim, caminho ao diálogo. Câmara também se posicionou contra a privatização da Companhia Hidrelétrica do São Francisco, a Chesf. “Apoiaremos decisões que beneficiem Pernambuco e o Nordeste, a exemplo das obras complementares da Transposição das águas do Rio São Francisco e da conclusão da Ferrovia Transnordestina. Mas seremos contra, fundados em sólidos argumentos, iniciativas que comprometam o futuro do Estado e da região, como a privatização da Chesf”, disse. E reafirmou seu discurso de campanha, deixando um recado para o presidente Jair Bolsonaro: “Morrer em um campo de batalha é uma forma de amar do Brasil. Ocupar as ruas em defesa da democracia também é”.

Participaram da cerimônia o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB); o arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido; o senador reeleito Humberto Costa (PT); o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Adalberto de Oliveira Melo, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco, Agenor Ferreira de Lima Filho, e outras lideranças políticas de Pernambuco.



FECHAR