A posse de Jair Bolsonaro: Discurso é pautado pela luta contra “socialismo” e o “politicamente correto”

A posse de Jair Bolsonaro: Discurso é pautado pela luta contra “socialismo” e o “politicamente correto”

Bolsonaro prestes a receber a faixa presidencial do seu antecessor, Michel Temer (Imagem: Sergio Lima / AFP)

Publicado em Política 1/01/2019 às 6:01

Ao contrário das previsões, a posse de Jair Bolsonaro como 38º Presidente da República Federativa do Brasil aconteceu sob sol forte nesta terça-feira (1). O calor inesperado fez com que bombeiros jogassem água na multidão — entre a qual lia-se cartazes como “Ustra Neles” — que acompanhava as cerimônias em espaço demarcado na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

O presidente — ao qual não chama-se mais de “eleito” — fez discurso no Congresso, ao público e recebeu das mãos de Michel Temer a faixa presidencial. O ex-paraquedista de 63 anos e seu vice, o general da reserva Antonio Hamilton Mourão, reafirmaram seu compromisso constitucional para um mandato de quatro anos.

 

“Convoco cada um dos congressistas para me ajudarem na missão de restaurar e de reerguer nossa pátria, libertando-a definitivamente do jugo da corrupção, da criminalidade, da irresponsabilidade econômica e da submissão ideológica”, disse o chefe de estado recém empossado.

Acusado de racismo e homofobia, o político nostálgico da ditadura militar declarou: “Vamos unir o povo, valorizar a família, respeitar as religiões e nossa tradição judaico-cristã, combater a ideologia de gênero, conservando nossos valores”. Ainda no discurso, disparou: “O Brasil voltará a ser um país livre das amarras ideológicas”.

A partida à Esplanada dos Ministérios

Jair Bolsonaro partiu para a sede do Legislativo no Rolls Royce conversível ao lado da sua esposa, Michelle Bolsonaro. Ele foi escoltado pelos Dragões da Independência.

Imagem: Carl de Souza / AFP

Sua comitiva seguiu pela Esplanada dos Ministérios e passeou perto da multidão que fez-se presente mesmo com as estritas medidas de segurança.

No Palácio do Planalto, Bolsonaro recebeu a faixa presidencial das mãos de seu antecessor, Michel Temer. Após o ato simbólico, ele ouviu a execução do hino nacional acompanhado pelo emedebista e de sua esposa, Marcela; da primeira-dama, Michelle, e do vice-presidente, Antonio Hamilton Mourão e da esposa deste, Paula.

 

Já com a faixa, proferiu do parlatório do Palácio do Planalto: “Me coloco diante de toda a nação como o dia em que o Brasil começou a se libertar do socialismo, da inversão de valores, do gigantismo estatal e do politicamente correto”.

Jair Bolsonaro ainda recebeu chefes de estado e representantes para parabenizá-lo. A presença de Evo Morales, presidente da Bolívia, foi uma das que mais chamou atenção. O boliviano é conhecido pela redução da pobreza em seu país, assim como pelo seu discurso anticapitalista.

Compartilhe
Publicado por
Victor Augusto

Comentários
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com