publicidade
11/11/18
IZA Foto Dayvison Nunes / JC Imagem
IZA Foto Dayvison Nunes / JC Imagem

Glam, furacão Iza e arrecadação em dobro Baile da Dona Santa

Publicado por Mirella Martins em Galerias às 10:59

Sucesso define a segunda edição do Baile da Dona Santa em prol da Fundación Avina. Todos os ingressos esgotados e arrecadação 50% a mais do que o ano passado, sobretudo, com a mudança de local: da Arcádia Boa Viagem para o Paço. E o valor arrecadado vai custear dois sistemas de reuso em escola em Pesqueira.  Houve apresentação de vídeo com o resultado do apurado do baile anterior. Juliana Santos, na sua fala de agradecimento, destacou sobre o propósito de “existir além da roupa”  e fez um discurso sobre o verdadeiro valores das coisas. A diretora da Vogue Condé Nast, Daniela Falcão, convocou os presentes a fazerem algo: “A gente tem que dar de volta o que a gente suga tanto da moda”, encerrou a parte burocrática da noite.

Depois disso, furacão Iza. O que era aquela mulher? Grande, vozeirão, personalidade. Não é à-toa que está concorrendo a um Grammy Latino, cujo resultado sai agora no dia 15, em Las Vegas. A carioca fez um pocket show, num estilo mais R&B, com grandes sucessos com hits de Michael Jackson, Marcelo Falcão e Djvan. A noite teve ainda o DJ Zé Pedro que literalmente incendiou a pista com seu set eclético.

ARTISTAS
Noite de muito glam. A Arcádia Paço ficou um espetáculo com decoração sustentável, criada por Andrea Manzi. Os lustres eram de papelão!!!. E o mulherio?  Caprichou, sem overdressed? Sem tanto babyliss.. Todo mundo muito adequado, produções e mais produções. Dava gosto de circular com tanta gente bem arrumada, produzida… Camila Coutinho, Mariana Goldfarb e Thaila Ayala estavam realmente shinning happy people. Realmente abrilhantaram a noite. Mila  – muitíssimo bem acompanhado com seu boy-magia Marcão Moura – e Mari  – sem Cauã!!!! – estavam num grudinho de dar gosto. Troca de selfies, abraços… O (sempre gato) Renato Goes – nosso global  fofíssimo- era vítima do sotaque por conta dos amigos. Marcos Pigossi passava e brincava com o “visse”. Ele, aliás, foi beeeeeeeeeeeeeem paquerado.

 



FECHAR