publicidade
07/08/18
Protesto por representatividade negra marca show de Jorge Ben Jor na Bahia (Imagem: Reprodução / Instagram)
Protesto por representatividade negra marca show de Jorge Ben Jor na Bahia (Imagem: Reprodução / Instagram)

Produção de Jorge Ben Jor escolhe apenas mulheres brancas para subir no palco e gera revolta: “Cadê as pretas?”

Publicado por Victor Augusto em Shows às 10:18

Uma confusão marcou a apresentação de Jorge Ben Jor na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador. Como de costume, ao cantar a música Gostosa, o cantor chamou algumas mulheres da plateia para subir ao palco e participarem da performance da cansão. O problema começou pelo conteúdo da música, classificado como sexista pela plateia. Mas, quando perceberam que todas as mulheres chamadas para o palco eram brancas e magras, a plateia questionou a falta de mulheres negras.


LEIA TAMBÉM: Gabriela Loran, primeira atriz transexual de malhação, posa nua


Vendo a predominância branca contrastada somente pelo próprio Jorge Ben Jor, o público logo questionou: “Cadê as pretas?”. O músico então tentou conversar com a plateia e disse: “Calma aí, garoto! Você não pode falar que você é homem. Eu tô chamando as meninas. Os meninos não se metem, a festa é das meninas!”.

Um grupo de mulheres negras subiu no palco e o deixou mais diverso. Jorge Ben Jor disse: “pode ficar. Tem mais aí?”. Apesar disso, os questionamentos continuaram. Em um vídeo publicado no YouTube, percebe-se que uma das mulheres negras que conseguiram chegar perto do cantor ainda chegou a conversar com ele. Logo depois, ela interage com parte da plateia e deixa o palco.

A banda tentou cortar a confusão começando a música, mas Jorge Ben Jor interrompeu, falou sobre o ocorrido e o limite de pessoas no palco. Antes de voltar com a música, disparou: “Todo mundo vai ter que rebolar aqui se não eu mando descer!”. Conforme a música avançou, o cantor foi chamando mais mulheres negras e o palco foi ficando mais diversificado.

Repercussão na internet

Apesar de, no final da música, o palco estar mais diverso, o público das redes sociais não perdoou a produção do show. Outros acusaram Jorge Ben Jor de sexista.

‘Cadê as pretas? Cadê as pretas?’ Gritávamos, todas. Não é sobre capoeira, mas é sobre ser mulher e ser gostosa, por isso vou contar para vocês. Ontem, na apresentação maravilhosa de Jorge Ben Jor em Salvador, rolou treta das boas. Segundo o próprio cantor, há 15 anos a produção do show escolhe ‘mulheres gostosas’ para subir ao palco e dançar com o Jorge na apresentação da música Gostosa. A brincadeira, que é sexista por si só é poderia ser evitada, também gera outro problema – o perfil das mulheres que o cara da produção entende como sendo gostosas – as nove meninas que subiram ao palco eram magras e brancas. Cadê as pretas? Cadê as gordas? Cadê a diversidade de gostosas no palco? Nada. Acontece que quando o cara passou e escolheu uma menina que estava bem perto de nós, essa negra linda aí da foto pediu a pulseirinha a ele e ele disse, claramente: “Você? Você não”. Eu ouvi. Ela reagiu: “Oxe, por que eu não?”. Pois foi só a música começar que essa preta parou o show para mostrar que vai ter preta e vai ter gorda por que somos todas gostosas. Eu espero que tenha ficado a lição para esse povo – não vamos mais aceitar a reprodução desses padrões de beleza. Eu fiquei muito feliz e saí de lá transbordando não só pela ocupação do espaço, mas também pelo show maravilhoso. Mas, é preciso ressaltar, preferia mesmo que eles não repetissem mais a brincadeirinha sexista”.

Coletivo Capoeira Mulher em publicação no Instagram

 



FECHAR