Ana Beatriz Nogueira desabafa sobre sua batalha no tratamento da esclerose múltipla

Ana Beatriz Nogueira desabafa sobre sua batalha no tratamento da esclerose múltipla
Publicado em Notas 4/02/2018 às 1:25

Portadora de esclerose múltipla há nove anos, Ana Beatriz Nogueira decidiu falar pela primeira vez sobre o assunto com a colunista Patrícia Kogut, do jornal O Globo jornal. Ela foi diagnosticada em 2009, quando atuava em Caminho das Índias. “A arte me salva todos os dias. Já me salvava antes, agora, mais ainda.”

O primeiro surto aconteceu em janeiro de 2009. Ela estava em casa, vendo um filme na madrugada, quando sentiu a visão duplicar. “Achei que a legenda da televisão estava ruim. Mas, no dia seguinte, não tinha melhorado e procurei o médico. Ele disse que isso se chama “diplopia” e poderia ter inúmeras causas. Concluiu que era o efeito colateral de um remédio para dormir que eu estava tomando. Me tranquilizou e garantiu que passaria com a suspensão do medicamento.”

Na festa do lançamento da novela de Gloria Perez no Parque Lage, Ana Beatriz precisou da ajuda de Tony Ramos e da mulher dele, Lidiane, para subir as escadas e chegar ao salão do palacete. Meses depois, quando teve o diagnóstico, Ana Beatriz iniciou o tratamento. “Achei que era o fim. Como atriz, meu corpo é meu instrumento de trabalho, meu tudo, dependo da minha visão, da audição, das funções cognitivas. O trabalho é minha festa, minha fonte de renda, minha alegria, minha beleza. Partimos para o tratamento. Fiquei dois meses de cama, me senti debilitada. Sabe quando ‘somem os tapetes vermelhos’, que são aqueles sonhos bonitos que você tem quando está quase adormecendo? Foi assim que aconteceu. A médica também me disse: ‘Você tem esclerose múltipla, uma doença autoimune que não tem cura e pode ser incapacitante. Mas a sua é na forma branda, o prognóstico é muito bom e você pode controlar isso e morrer de tijolada!’”

Um grupo restrito de amigos, como Patricia Pillar, Denise Bandeira, Zélia Duncan, Malu Mader e Luiz Henrique Nogueira, tinha conhecimento da doença da atriz. Eles aprenderam a aplicar a injeção de imunomodulador de que ela precisa para evitar ter um novo surto. Agora, com a doença sob controle, concluiu que poderia ajudar a “combater a ignorância, o maior perigo de todos”. “O segredo é pesado. A gente vai digerindo, entendendo e resolvendo os fantasminhas. Minha decisão de falar foi motivada por amigos, por terapia e pelo desejo de tornar essa estrada mais fácil para quem tiver que passar por ela. Não estou doente, tenho uma doença. Gosto de ver a esclerose múltipla como uma característica. Muita gente tem medo de falar, com receio de virar ‘café com leite’ na vida.”

Compartilhe
Publicado por
Anneliese Pires

Comentários
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com