Com público visivelmente menor no Galo da Madrugada, sobrou espaço para a fantasias e camarotes

Com público visivelmente menor no Galo da Madrugada, sobrou espaço para a fantasias e camarotes

Do alto, multidão que normalmente toma conta da ponte era visivelmente menor. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Publicado em Carnaval 2017 25/02/2017 às 12:32

O ano de 2017 entrou para a história do Galo da Madrugada, é fato. Não apenas pela polêmica e controversa alegoria gigante do Galo, instalada no percurso do desfile do proclamado “maior bloco de Carnaval do mundo” em 1995, pelo Guiness Book.

[youtube vPe7WkKDMGU]

É que, pelo menos até o fim da manhã deste Sábado de Zé Pereira, visualmente o bloco não tinha superlotado as ruas estreitas do Centro do Recife, por onde passa o cortejo e os 24 trios arrastando multidões. Os pés da própria alegoria gigante, que naturalmente reúne muita gente como ponto turístico, estava vazio até o meio dia.

LEIA MAIS:

>> Famosos curtem o Galo da Madrugada 2017; confira

>> Rita Cadillac relembra Cassino do Chacrinha no Galo da Madrugada

Galo da Madrugada reina absoluto na Ponte Duarte Coelho. Foto: Guga Matos/JC Imagem

Galo da Madrugada reina absoluto na Ponte Duarte Coelho. Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Mesmo “vazio” para o que é o padrão do Galo da Madrugada o desfile não deixou de reunir o que é mais característico no Carnaval de Pernambuco: a criatividade dos foliões. E teve espaço para tudo, de crítica social à descontração das fantasias do pessoal que passa o ano inteiro “investindo” para arrasar na festa.

Foto: Guga Matos / JC Imagem

Foto: Guga Matos / JC Imagem

Zumbis da crise entre os fantasiados. Foto: Guga Matos/JC Imagem

Zumbis da crise entre os fantasiados. Foto: Guga Matos/JC Imagem

É como se o Galo tivesse voltado no tempo dos antigos carnavais. Logo cedinho, na concentração para o tradicional Café da Manhã do Galo, Rei e Rainha do Carnaval do Recife receberam os coloridos súditos para para dar boas vindas à festa. Diabos e diabas loiras, “aposentados” e até zumbis compareceram ao Forte das Cinco Pontas (também no Centro da Cidade) para carregar as energias para a festa que seguiu sol à pino pelas ruelas da capital pernambucana.

Folião aposta na irreverência - mas o leão da inflação está lá

Folião aposta na irreverência – mas o leão da inflação está lá

Parte do “esvaziamento” do Galo se deveu à tensa situação pré-Carnaval, com ameaça de greve dos policiais militares em Pernambuco. Ponto para a segurança, neste caso. Bloqueios em vários pontos de entrada no circuito do trajeto foram registrados – não se podia entrar com material de vidro nem com armas brancas ou de fogo (óbvio).

Inclusive os foliões nas ruas fizeram questão de agradecer aos oficiais a presença nas ruas.

Renato Góes, Fabiana Karla e Lucy Alves

Renato Góes, Fabiana Karla e Lucy Alves

Gaby Amarantos é pura simpatia. Foto: Guga Matos

Gaby Amarantos é pura simpatia. Foto: Guga Matos

Nos camarotes – eles existem e têm se proliferando – o clima era de completa animação… Duetos entre os artistas que estavam nos trios – como Joelma (Calypso), Fafá de Belém, Geraldinho Lins com Lucy Alves. Até uma animadíssima Rita Cadilac apareceu para celebrar a festa – que esse ano teve o tema “Roda e Avisa”, em homenagem ao programa Cassino do Chacrinha.

banner-galeria

É claro que o ritmo predominante da festa é e tem que ser o frevo. Neste ano o bloco homenageou dois representantes da música pernambucana: o cantor Alceu Valença e o compositor Jota Michiles. Mas teve espaço pra brega, mangue, rock. Dentre as atrações dos trios, nomes de destaque na música nacional e local como Fafá de Belém, Joelma, Fulô de Mandacaru e Geraldinho Lins.

Polêmica galinácea

Foto: Diego Nigro / JC Imagem

Foto: Diego Nigro / JC Imagem

A estrutura do Galo da Madrugada passou por mudanças em 2017. Deixou de ser confeccionado por Sávio Araújo, artista plástico pernambucano que esteve à frente da alegoria nos últimos sete anos, e está foi elaborado pelo apresentador e grafiteiro Flávio Barra. A decisão da prefeitura causou polêmica entre artistas do estado, que alegaram falta de reconhecimento por parte da gestão.

Confira a lista de trios elétricos e parcerias entre os artistas:

1- Gustavo Travassos com participação de Fafá de Belém
2- Marrom Brasileiro com participação de Nando Cordel
3- Geraldinho Lins com participação de Lucy Alves
4- Asas da América
5- Almir Rouche com participação de Tony Garrido
6- Alceu Valença com participação de Lula Queiroga e Silvério Pessoa
7- Orquestra 100% mulher
8- Joelma com participação de Vanessa da Mata
9- Maestro Spok com participação de Tony Garrido
10- Nena Queiroga com participação de Maria Gadú
11- André Rio com participação de Gaby Amarantos, Carla Rio, Luciano Magno e Chrigo
12- Fulô de Mandacaru com participação de Ed Carlo e Cezzinha
13- Gerlane Lops com participação de Silvério Pessoa
14- Maestro Forró
15- Quinteto Violado com participação de Israel de França
16- Nonô Germano com participação de Michael Sullivan e Liv Moraes
17- Som da Terra
18- Benil com participação de Cristina Amaral
19- Banda Luará
20- Trombonada
21- Nádia Maia
22- Banda Pinguim
23- Fabiana Pimentinha
24- Orquestra Perfil

Compartilhe
Publicado por
Mirella Martins

Comentários
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com