70 anos dos biquínis: confira a evolução da peça

70 anos dos biquínis: confira a evolução da peça
Publicado em Notas 24/09/2016 às 11:00

Com informações do Stylight Brasil

Nesse ano, o biquíni completou 70 anos. Na primeira vez que ele foi apresentado na mídia, em 1946, causou muito alvoroço. Você sabia que a modelo que desfilou com a peça pela primeira vez recebeu mais de 50 mil cartas de fãs logo após a apresentação? E que uma brasileira foi a maior divulgadora da tanga durante a década de 70?

Selecionamos algumas curiosidades e representamos a evolução do biquíni em cada década. Confere:

Anos 40: ainda era escandaloso
O biquíni ainda era um pouco polêmico na década de 40. A atriz e nadadora Esther Williams, protagonista de vários musicais que popularizaram o nado sincronizado, criticou muito a peça e se recusou a usá-la. A moda na época era pouco confortável. As roupas de banho eram feitas de algodão ou linho e pesavam muito quando molhadas. As mulheres usavam um conjunto composto por duas peças, em que a calcinha era de cintura alta e continha um laço de enfeite. O umbigo não era mostrado e as estampas eram geralmente com flores ou bolinhas.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Anos 50: modelos super femininos
Não muito longe de Paris, onde a peça surgiu pela primeira vez na mídia, a localidade de Cote D’Azur se tornou a capital do biquíni e a atriz Brigitte Bardot, sua musa. Em 1953, ela apareceu na Croisette em Cannes usando a peça e virou a sensação nas capas de jornais. No ano anterior, ela protagonizou o filme Manina (The girl in the bikini) também usando um modelo bem sexy. Já nos Estados Unidos, a peça ainda era um pouco polêmica. Jane Russell havia concordado em usar um biquíni no filme Um romance em Paris, mas ela acabou mudando de ideia e preferiu usar um maiô por se sentir muito nua com a primeira opção.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Década de 60: looks futuristas
A Garota de Ipanema, depois que encantou Vinicius de Moraes a caminho do mar, virou ícone da peça e desfilou vários modelos em praias cariocas. Outra brasileira de destaque foi Leila Diniz, que causou alvoroço ao usar a peça enquanto estava grávida. A foto dela com o barrigão na praia virou um dos símbolos do feminismo brasileiro dos anos 60 e 70. O biquíni passou a fazer partes dos armários de várias mulheres dentro e fora do Brasil. Tecidos como a lycra passaram a ser usados na produção de moda praia. Começava-se a fabricar modelos com a cintura mais baixa e o sutiã com formatos modeladores.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Os anos 70: mania de crochê
Nos anos 70, os biquínis ficam ainda menores. Ao mesmo tempo em que a indústria desenvolvia tecidos cada vez mais preparados para a praia, o crochê e outros materiais artesanais ganharam espaço. Um top em formato triangular e em cores alegres representa bem a moda praia da década. É claro que a gente não se esqueceu da tanga, que surgiu nesses anos. Alguns falam que ela nasceu no Brasil, outros em Ibiza, não se sabe ao certo. O que se sabe é que a modelo Rose di Primo foi uma das maiores divulgadoras da peça nas praias cariocas, que fizeram o mundo olhar para a moda praia brasileira pela primeira vez.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Década de 80: cores e calcinha cavada
Quem não se lembra dos vídeos de aeróbica da Jane Fonda? Graças a eles, todo mundo ficou doido por polainas, leggings e faixas de cabelo esportivas. Depois de passar o ano todo deixando o corpo lindo, o que as mulheres da década de 80 queriam era mostrar as curvas na praia. Principalmente com cores fortes, calcinha super cavada e top combinando. Era a época dos looks andrógenos e o corte de cabelo super curto era a melhor alternativa pro verão.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Década de 90: O estilo californiano
Barrados no Baile e SOS Malibu foram febres da época, e graças a essas produções, as praias da Califórnia ganharam destaque nos anos 90. É claro que o maiô vermelho é icônico, mas o que representa mesmo a década, são os bikinis meio preppy, com um toque moderninho. E com direito a muita estampa de animal print e pulseiras. Basta olhar para a capa de Valeria Mazza e Tyra Banks na edição de Sports Illustrated em Janeiro de 1996.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Os anos 2000: o umbigo do mundo
Se mostrar o umbigo era uma vergonha no começo da história do biquíni, durante os anos 2000 ele virou o centro das atenções. Com cintos de pedrinhas, piercings e outros adereços, o umbigo ganhou um destaque extra nessa época. É só perceber que o top cropped também ganhou popularidade, juntamente com as calças de cintura bem baixa. Em relação à moda praia, a calcinha com formato triângulo era o clássico da época. As cores? Tons metálicos ou simplesmente branco.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

De 2010 em diante: fitness lifestyle
Estamos na metade da década, então é um pouco difícil definir uma tendência que represente os anos 2000 em diante. Nesse ano, os biquínis com tiras em diferentes tamanhos, em volta da calcinha, e na cintura, estão em alta. Os modelos com o contorno preto, e formas geométricas no geral, também são tendência. A moda agora é ser saudável. As pessoas estão trocando a cervejinha depois do trabalho por uma aula de Yoga na natureza. Então nada mais natural do que levar o tapetinho para a praia.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Compartilhe
Publicado por
Mirella Martins

Comentários
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com