Garimpos de moda na Fenearte

Garimpos de moda na Fenearte
Publicado em Instant Article Moda Notas 12/07/2016 às 10:15

São mais de 5 mil expositores na Fenearte, entre artesãos de Pernambuco, do Brasil e de alguns países que dividem cerca de 800 espaços, numa área de 30 mil m², no pavilhão do Centro de Convenções. Um mundo de possibilidades entre peças de arte, decoração e moda. Para garimpar peças, tem que ter disposição. Foi o que fizemos!

Rita Azevedo é figurinista e assinou trabalho para o filme "Aquarius", de Kleber Mendonça Filho, por exemplo. - Fotos: Dayvison Nunes/JC Imagem

Rita Azevedo é figurinista e assinou trabalho para o filme “Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho, por exemplo.

Durante quase uma tarde inteira, nós, com a ajuda da figurinista Rita Azevedo (Aquarius), fomos em busca de roupas e acessórios diferentes, contemporâneos e cheios de identidade. É lógico que na feira há os tradicionais – e belíssimos, rendas e bordados que são marca do nosso Estado, mas a proposta que Rita nos fez foi justamente sair na zona de conforto. Procuramos entre aquelas dezenas de corredores peças modernas e cheias histórias para contar.

Nossa primeira parada foi um estande do Acre onde havia expostos sapatos com design moderno mas com um material bem característico daquela região ao norte do País: o látex. Produzidos na cidade de Epitaciolândia, os pisantes começaram a ser fabricados apenas para uso dos seringueiros. Daí a coisa evoluiu e virou a marca Doutor da Borracha. Coloridos e confortáveis podem ser usados em diversas produções. “Ele têm uma pegada tão moderna que compõe com muita coisa coisa. Um vestido de algodão ou um jeans detonado com uma camiseta de malha, por exemplo”, indica Rita.

collage sapatos

Sapatos em látex vindos do Acre

Ainda nessa pegada da sustentabilidade e do colorido encontramos no estante a lado colares feitos em madeira da Amazônia e sementes. Algumas delas nem tingidas são, já tem uma coloração natural bem diferente. Num outro estante, de Manaus, achamos anéis super sofisticados e ecológicos produzidos em madeira e Jarina, conhecida como o marfim vegetal, uma semente proveniente de uma palmeira e que leva quatro anos para nascer.  “Importante é você agregar essas peças ao que você já tem em casa. É tudo muito versátil e você não precisa sair em busca de novas peças para compor com aquela peça nova que você comprou”, sugere a figurinista.

Dayvison Nunes / JC Imagem Data: 11-07-2016 Assunto: SOCIEDADE - Seleção de peças de moda na Fenearte.

Dayvison Nunes / JC Imagem Data: 11-07-2016

Da Amazônia chegamos a um espaço baiano. Em Porto Sauípe, numa cooperativa composta por 160 mulheres, se produz belas bolas em palha de piaçava tingidas com anilina gaúcha. Selecionamos essas com um design atual, redondas e em cores vibrantes. Com esse tipo de peça, conta Rita, vale dar destaque só a ela e deixar a produção mais clean.

collage bolsas

Chegando aos produtos pernambucanos, fomos direto ao espaço destinado a um grupo de 19 artesãos da comunidade quilombola Conceição das Crioulas, em Salgueiro . Lá encontramos bolsas feitas com fibra de Caroá, uma planta nativa do Nordeste, super resistente. “Dá para compor com um look praia também”, conta Rita.

Dayvison Nunes / JC Imagem Data: 11-07-2016 Assunto: SOCIEDADE - Seleção de peças de moda na Fenearte.

Mais à frente, encontramos as roupas da estilista e arquiteta Kátia Costa Pinto. feitas em linho, um tecido que apesar de ser artesanal e ter até um toque rústico, é fino e elegante. Kátia ousou ao desconstruir a blusa com uma manga só deixando a peça com uma cara moderna, além de peças cheias de volume e amarrações.

collage roupas Falando em acessórios produzidos aqui, chegamos as biojóias de Patrícia Moura, artista plástica e designer, que tem como inspiração e base principal de seu trabalho a exuberância da matéria prima natural e a rica cultura das regiões Norte e Nordeste do Brasil como  sementes, madeira e cerâmica.

DN110716109

Com uma pegada mais contemporânea e pop, encontramos os acessórios produzidos em acrílico do estúdio Lama.

DN110716135

Produtos feitos com couro são uma das tantas marcas registradas do artesanato do Nordeste.  Nas mãos de Fernando Viana, natural de Olinda (PE), essa matéria-prima rende pisantes modernos, originais e cheios de cor. Do município de Jaqueira, encontramos belas bolsas feitas em couro de bode.

DN110716122

DN110716127

E essa última peça, garimpamos no estande da Argentina, feita em couro e camurça.

DN110716149

Compartilhe
Publicado por
Anneliese Pires

Comentários
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com