Narrativas Poéticas ocupam o Museu do Estado

Publicado em Notas 27/08/2014 às 12:59
Narrativas Poéticas ocupam o Museu do Estado

Na exposição, as obras enchem as paredes de imagens, enquanto palavras são projetadas no chão e em painéis

Mais de 60 obras da coleção Santander Brasil compõem a mostra Narrativas poéticas, aberta nesta terça (26), no Museu do Estado. A noite teve ares de estreia da parceria entre o museu e o Santander Cultural, anunciada em maio, após o banco fechar o espaço cultural que mantinha no Bairro do Recife. A Mill Publicitá, empresa carioca, armou grande estrutura nos jardins do Mepe, por onde os convidados circularam antes e após visitarem a mostra. A abertura foi formal, com discursos de Marcos Madureira, vice-presidente de Marketing do Santander; Maria Digna Pessoa de Queiroz, diretora do museu; Helena Severo, curadora da mostra; e Marcelo Canuto, secretário de Cultura de PE.

Marcelo Canuto, Maria Digna Pessoa de Queiroz, Helena Severo e Marcos Madureira, no time de frente da noite/Fotos: Dayvison Nunes

Marcelo Canuto, Maria Digna Pessoa de Queiroz, Helena Severo e Marcos Madureira, no time de frente da noite/Fotos: Dayvison Nunes

Grande estrutura foi montada no jardim do Mepe, por onde os convidados circularam

Grande estrutura foi montada no jardim do Mepe, por onde os convidados circularam

Narrativas poéticas chega aqui depois de viajar por quatro outras cidades. Trata-se de um recorte das mais de 1,2 mil peças que integram o acervo do Santander Cultural. Há telas de Di Cavalcanti, Portinari, Cícero Dias, Tomie Ohtake, Manabu Mabe, Alfredo Volpi, Iberê Camargo, Fayga Ostrower… E também de José Cláudio, que estava lá com artistas do Estado: Mané Tatu, Raul Córdula, Marcelo Peregrino, Roberto Lúcio, Edson Menezes…

Carlos Trevi (de paletó) era o anfitrião - recebeu José Cláudio, Edson Menezes e Augusto Rodrigues

Carlos Trevi (de paletó) era o anfitrião – recebeu José Cláudio, Edson Menezes e Augusto Rodrigues

Obra de José Cláudio integra a mostra

Obra de José Cláudio integra a mostra

Por lá, Raul Córdula e Margot Monteiro

Por lá, Raul Córdula e Margot Monteiro

Helena, a curadora, com auxílio de Antônio Cícero e Eucanaã Ferraz, introduziu na mostra de cá poemas de Carlos Pena Filho e Joaquim Cardozo, para aproximá-la do recifense. Na formação que viajou para as outras cidades já havia escritos de João Cabral de Melo Neto. A expô de imagens e palavras fica em cartaz até o dia 12 de outubro e a gente recomenda a visita.

Na exposição, as obras enchem as paredes de imagens, enquanto palavras são projetadas no chão e em painéis

Na exposição, as obras enchem as paredes de imagens, enquanto palavras estão dispostas em painéis ou projetadas no chão

Compartilhe
Publicado por
Romero Rafael

Comentários
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com