publicidade
05/06/19
Pietro Labriola, CEO da TIM Brasil, e Renato Ciuchini, head de Marketing da operadora, no lançamento do plano TIM Black Família, no Rio. (Foto: Romero Rafael)
Pietro Labriola, CEO da TIM Brasil, e Renato Ciuchini, head de Marketing da operadora, no lançamento do plano TIM Black Família, no Rio. (Foto: Romero Rafael)

TIM lança plano família com Netflix inclusa e vantagens para roaming

05 / jun
Publicado por Maria Ligia em Lançamento às 17:14

Por Romero Rafael, do Social1

rrafael@jc.com.br

Rio de Janeiro – Há um tempo que a TIM era cobrada por não ter um plano família, um tipo que suas concorrentes oferecem já há uns bons anos. Chamado TIM Black Família, a versão da operadora é comercializada a partir desta quarta (5), em todo o Brasil, com serviços que vão além dos pacotes de voz e dados. Nas opções que incluem acima de dois dependentes (a quantidade máxima é cinco), o titular recebe assinatura da Netflix com duas telas. “Chegamos com atraso, mas com algo inovador”, disse o CEO da TIM Brasil, o italiano Pietro Labriola, que está há dois meses no posto, durante apresentação da novidade a jornalistas, terça (4), em convenção com gerentes de todo o País, no Riocentro.

Leia também: Oi aposta em novidades no streaming e expansão da fibra ótica

Devido à inclusão da Netflix, a TIM tem falado do plano família como um hub de conteúdo. “Para onde o mercado está indo?”, perguntou Labriola, que emendou: “Quisemos antecipar um movimento do mercado”, referindo-se à força que empresas de produção de conteúdo sob demanda, como o serviço de streaming e a Amazon, têm no mercado, hoje e no futuro, como se sabe. Embora não haja outra parceria dessas engatilhada, o head de Marketing da operadora, Renato Ciuchini, deixou claro que a relação com a Netflix não restringe parcerias futuras com outras empresas.

“Quisemos antecipar um movimento do mercado”, disse o CEO da TIM, Pietro Labriola (Foto: Patrick Rocha Pinguim)

A estratégia é interessante para a TIM, pois o consumo de dados no uso da Netflix será descontado da franquia contratada, que pode ser de 60 GB (com até dois dependentes, por R$ 269,90), 100 GB (até três dependentes, por R$ 319,99) ou 180 GB (até cinco dependentes, por R$ 499,99). Há também opção de 30 GB, mas para um dependente apenas e sem Netflix. Por outro lado, se a pessoa não esgotar o pacote de dados, o restante entra como crédito para o mês seguinte e é consumido antes mesmo da franquia do novo mês, o que pode ser acompanhado por aplicativo.

Vantagens já constantes em outros planos do leque TIM Black continuam na versão família: tanto os acessos a WhatsApp, Instagram, Twitter e Facebook, que não descontam da franquia, quanto as assinaturas da plataforma digital de música Deezer (concorrente do Spotify) e do serviço TIM Banca Virtual (que inclui cerca de cem revistas) – essas duas últimas, aliás, engrossando o interesse da operadora por, mais do que telecomunicação, fazer-se também um hub de conteúdo.

Renato Ciuchini, head de Marketing da TIM, no evento de lançamento do Black Família. (Foto: Patrick Rocha Pinguim)

Roaming internacional

Para além da possibilidade de juntar a família debaixo de um mesmo guarda-chuva e das assinaturas da Netflix, Deezer e de publicações pela Banca Virtual, o TIM Black Família pode fazer brilhar os olhos de quem viaja para o exterior com alguma frequência. A operadora vai disponibilizar, mensalmente, sete dias de uso ilimitado de WhatsApp mais 30 minutos de ligações, em qualquer lugar do mundo que a pessoa esteja. No entanto, são benefícios válidos só para o titular, chamado pela operadora de master.

Atendimento humanizado

Direcionado para, sobretudo, os públicos A e B, o TIM Black Família rejeita a robotização que tem ganhado os atendimentos e oferece à sua base um call center exclusivamente humano. Ou seja, a pessoa vai ligar, o sistema reconhecerá o plano e, então, conduzirá a ligação para um atendente sem que ele, sequer, passe pela URA, a unidade de resposta audível, que, muitas vezes, resolve (ou não) o motivo da chamada sem nem chegar a um atendente.

* Repórter viajou a convite da TIM


FECHAR