publicidade
18/08/17
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Guia básico para conhecer a cultura pop coreana

18 / ago
Publicado por Letícia Saturnino em Cine às 14:44

Por Priscila Miranda

O interesse por hábitos e tradições orientais sempre existiu no universo nerd, mas a crescente onda de fãs brasileiros, principalmente jovens, pela cultura da Coreia do Sul tem chamado a atenção
nos últimos tempos, fazendo com que diversos grupos de k-pop, gênero musical que nada mais é que a música popular coreana, tenham vindo com cada vez mais frequência para o Brasil – e para o Recife. O MundoBit conversou com alguns admiradores desse universo e pediu dicas para os que desejam conhecer mais da cultura pop do país ficarem por dentro do que está bombando atualmente.

Confira a entrevista com o grupo de K Pop Unnamed :

Música

Esqueça o cantor Psy e o mega hit “Gangnam Style” como único exemplo para a música sul-coreana. BTS, Mamamoo, BlackPink, Girls Generation, Kard, existem muitos grupos de k-pop que são grande sucesso no mundo e criam os “idols”, termo que designa os artistas desse gênero montados para o sucesso. Com bastante referência no cenário musical dos Estados Unidos, eles aliam música, videoclipes cheios de efeitos especiais e danças com coreografias elaboradas, tudo para bombar as visualizações dos vídeos na internet.

“Tudo é muito bem produzido, os coreanos são muito detalhistas e possuem um senso de estética muito forte, então tudo é visualmente muito bonito”, afirma Letícia *, que estuda coreano e pretende viajar para a Coreia para imergir ainda mais na cultura do país, assim como Paloma Cavalcante, outra jovem estudante que sonha em conhecer um dia o país do outro lado do globo. “Nunca viajei pra Coreia, mas pretendo. Quero no futuro estudar língua coreana lá!”, conta. Sua ligação com a Coreia começou em casa, com o pai cantando em um coral de música coreana e que a influenciou a integrar grupos de kpop cover.

Televisão

“Quando pensamos em TV coreana, a primeira coisa que vem em mente são os Kdramas, que, em sua maioria, apresentam a temática de romance com triângulo amoroso. O público sempre cria a expectativa pelo primeiro beijo do casal principal. Diferentemente das novelas brasileiras, as coreanas não costumam ter muitas cenas de beijos ou de demonstrações de afeto mais explícitas”, explica Letícia.

Para uma “iniciação” nas novelas da Coreia, ela indica “Boys over Flowers”, “Playfull Kiss”, que são dramas “antigos”, mas considerados clássicos pelos dorameiros – sim, os fãs de séries televisivas orientais são chamados assim por causa do termo “dorama”, que classifica assim essas produções. Há ainda “It´s Okay That´s Love”, “Reply Me 1988”, “Decendants of the Sun, “Pinóquio”, “Weight Fairy”, “Kim Bok Joo “, entre outros. Muitas dessas produções estão disponíveis online e com legendas em português para aquele que não arriscam o coreano. A Netflix tem disponibilizado algumas produções sul-coreanas e há serviços de streaming, como o Drama Fever, especializado em conteúdo oriental.

Além das novelas, programas de variedade também fazem sucesso na TV coreana e atraem a atenção dos fãs. “Reality shows que mostram o dia a dia de famosos em diferentes situações, programas ligados a música também são bastante comuns, assim como talk shows, sempre muito engraçados”, defende Letícia, justificando que os coreanos costumam ter reações exageradas e são muito expressivos, o que acaba deixando tudo divertido.

Entre os destaques, Letícia elenca “Hello Counselor” (espécie de “Casos de Família” coreano), “The Return of superman” (mostra o dia a dia de pais famosos que precisam cuidar dos filhos pequenos sem a ajuda das mães), Non-submmit/Abnormal submmit (um programa que conta com homens de diferentes países, inclusive um brasileiro, Carlos Gorito, que debatem sobre diferentes temas, como cultura, política, além de mostrar o ponto de vista de um estrangeiro sobre a cultura coreana) e “Weekly idol” (dois apresentadores recebem grupos famosos de kpop e fazem brincadeiras).

Cinema

A sétima arte tem ótimos exemplos de filmes feitos pela Coreia do Sul. Um que pode-se considerar um “clássico” é “Old boy”, de 2003. “Conta a história de um homem que ficou preso em um quarto durante 15 anos, que acaba sendo libertado e começa a ‘caçar’ os responsáveis pela sua prisão”, comenta Letícia.

Da safra de produções mais recentes, uma feita pela Netflix é “Okja”, que conta a saga de uma jovem chamada Mija que arrisca tudo para evitar que uma poderosa multinacional sequestre sua melhor amiga — um animal gigante chamado Okja. Há ainda “Train to busan”, também disponível na plataforma de streamings, que acompanha uma reaproximação complicada entre pai e filha em meio a uma epidemia de zumbis.

Comida

Formada em gastronomia, Letícia destaca a rica culinária da Coreia do Sul. “Além saudável, é muito gostosa. Rica em verduras, grãos, além de ser bem picante, pois os coreanos amam comida apimentada”, diz. Além do sabor, ela afirma que existe toda uma filosofia por trás da alimentação eles. “A comida deve estar em harmonia com cada estação do ano, região, e os ingredientes devem estar equilíbrio.” No Recife, é possível conhecer um pouco da comida coreana em restaurantes como Burgoguí, localizado Espinheiro, Zona Norte da cidade.

Festivais

Se você leu tudo até aqui e está mais interessado na cultura coreana, pode conhecê-la melhor através de festivais. Em Pernambuco, existe uma Lei desde 2013 que designa o último sábado do mês de setembro para ser dedicado ao Dia da Cultura Coreana no Estado.

A quarta edição do Festival da Coreia acontecerá no dia 23 de setembro, no Centro de Convenções de Pernambuco, e terá atrações como danças tradicionais, grupos de percussão, apresentações de kpop cover, competição de taekwondo, comidas típicas entre outras ações.


FECHAR