publicidade
30/05/16
Pitch, parceria do Porto Digital dom o CIn-UFPE. Foto: Beto Oliveira/Divulgação
Pitch, parceria do Porto Digital dom o CIn-UFPE. Foto: Beto Oliveira/Divulgação

Porto Digital inaugura o Pitch, sua primeira âncora no Centro de Informática da UFPE

30 / maio
Publicado por Letícia Saturnino em INOVAÇÃO às 17:22

O Porto Digital e o Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (CIn-UFPE), inauguram amanhã (mais conhecido como “dia 31/05”, ou “terça-feira) o Pitch – Conexões Empreendedoras, um ambiente de coworking voltado aos estudantes da universidade e seus empreendimentos inovadores.

Ano passado, quando fiz o Especial de 15 anos do Porto Digital para o JC, já se falava nesse projeto em parceria com o pessoal do CIn. E isso é extremamente significativo para as duas instituições.

O parque tecnológico, em sua origem, chegou a ter considerada sua instalação dentro do campus da UFPE, o que é muito comum mundo afora. Não aconteceu pois isso divergiria na questão urbanística do Porto – não haveria tanto impacto no Recife caso as empresas de tecnologia se alojassem no distante bairro da Cidade Universitária. O centro da capital seria mais indicado para isso.

Da mesma forma, na sequência, houve um estudo para levar o CIn para o Bairro do Recife. Ele ficaria onde é a Capitania dos Portos, perto da Torre Malakoff, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação e a poucos quarteirões do Cesar (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife). Também não rolou, o que foi uma coisa boa, já que o CIn hoje é muito maior do que o prédio da Marinha pode comportar.

Guilherme Calheiros, Francisco Saboya e Silvio Meira, pelo Porto Digital, e  Anísio Brasileiro, André Santos e Cristiano Araújo, da UFPE. Foto: Beto Oliveira
Guilherme Calheiros, Francisco Saboya e Silvio Meira, pelo Porto Digital, e Anísio Brasileiro, André Santos e Cristiano Araújo, da UFPE. Foto: Beto Oliveira

“Estamos passando de uma prática inconstante para uma realidade efetiva. O Porto Digital é uma cria do CIn, existe um nível de interação muito grande entre as duas instituições, mas decidimos aprofundar essa parceria com um espaço físico aqui dentro”, conta o presidente do parque tecnológico, Francisco Saboya.

O Pitch conta com 16 estações de trabalho, um ambiente compartilhado para coworking, recebeu R$ 1 milhão em investimentos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e fica ao lado do laboratório de pesquisa do Centro de Informática.

“Muitas das grandes empresas do Porto Digital resultaram de pesquisas feitas aqui, como a Tempest, Neurotech, Quality e outras, criadas por alunos da nossa graduação”, lembra o professor Cristiano Araújo, que será responsável pelo Cinove, um projeto de inovação que tem como objetivo identificar pesquisas de toda universidade (não só do CIn) que possam ser transformadas em startups, trazendo soluções viáveis para o mercado. “Viemos agregar à esse ecossistema. Fazer essa conexão entre pesquisa e inovação”, explica.

Para o diretor e professor do CIn-UFPE André Santos, essa parceria torna ainda mais orgânica a relação entre o mercado e os projetos inovadores surgidos no centro. “Estas iniciativas reafirmam a importância da conexão entre alguns de nossos projetos, oriundos de nossas pesquisas ou disciplinas, com o mercado, representado aqui pelo Porto Digital”.

Como tudo no parque tecnológico, o nome foi pensado e estudado. “O momento do pitch é bastante conhecido das startups. Presente na maioria das chamadas, editais e concursos para empreendedores, um bom pitch precisa ser decisivo e objetivo: é a hora de mostrar o valor da ideia, do produto e de provar o potencial inovador da proposta. Além disso, o termo em inglês carrega em si outro significado e pode ser entendido como tacada, guinada, impulso. E é este mesmo o espírito do espaço: mercado e academia conectados para alavancar o potencial empreendedor dos estudantes”, explica Francisco Saboya.


FECHAR