publicidade
01/09/15

Google Chrome decreta a morte do Flash e todos devemos comemorar

01 / set
Publicado por Renato Mota em INTERNET às 11:58

Foto: Reprodução/pagelizard.com.
Foto: Reprodução/pagelizard.com.

Chrome agora bloqueia as animações Flash por padrão. Netflix e Facebook também abandonam a linguagem

A partir desta terça (1º), o navegador Chrome, o mais utilizado no mundo, não irá mais reproduzir anúncios em Flash.

Isso significa que animações e vídeos em anúncios não serão reproduzidos automaticamente. Para ser ativada, a animação precisará ser clicada pelo usuário.

A decisão tinha sido anunciada em junho deste ano pelo Google+. No momento atual dos navegadores, o desempenho tem sido colocado como prioridade. A morte do flash é uma ótima notícia: ele é inseguro, pesado, destrói a autonomia da bateria e tem apetite voraz por memória RAM. Ninguém vai sentir saudade.

Um dos principais alvos do Chrome são aqueles anúncios com reprodução automática. Ainda que eles possam ser encerrados com um único clique, o estrago de lentidão – e irritação do usuário – já foi prejudicada. Além disso, o Flash tem sido responsável por diversos problemas de segurança que tornam a navegação pouco segura.

Já sabemos para quem torcer nesta luta. (Reprodução).
Já sabemos para quem torcer nesta luta. (Reprodução).

Os gigantes também se mudam

Criado pela Adobe, o Flash está presente em diversos processos e produtos web. O Netflix, por exemplo, usa a linguagem para poder exibir seus conteúdos nos PCs. No entanto, a rede está em processo de migração desde o ano passado quando passou a exibir seus filmes e séries em HTML5 nos notebooks. A mudança deve acontecer em breve nos PCs e outros dispositivos.

O Facebook vem fazendo o mesmo. Grande parte de seus vídeos estão sendo reproduzidos em HTML5, mas a mudança é bem lenta. Ainda não está claro se esta será a alternativa definitiva encontrada pela rede social. O chefe de segurança da empresa, Alex Stamos, chegou a pedir no Twitter que a Adobe mate o Flash de uma vez por todas.

O Google vem avisando aos seus anunciantes que mudem do Flash para o HTML5, uma linguagem muito mais leve e estável. Como o Google opera grande parte dos anúncios web no mundo, a decisão deverá afetar a indústria de maneira substancial.

É uma pena que apenas o Chrome tenha decretado o sepultamento do Flash. O Mozilla teve diversos problemas com a linguagem e chegou a bloqueá-la por um tempo. Mas com a promessa de uma versão mais estável, passou a adotar o Flash novamente no navegador Firefox.

Nunca mais. (Montagem NE10).
Nunca mais. (Montagem NE10).

Adeus de vez

O fim do Flash – ao menos como ele funciona hoje – é uma clara evolução da experiência do usuário na internet. E será definitivo para melhorar ainda mais os produtos e sites nos computadores. Sua existência foi importante nos últimos anos por possibilitar o crescimento de conteúdos multimídia.

Mas seu funcionamento caducou com o surgimento de linguagens mais modernas, entre elas o HTML5. Esperamos que a decisão do Google leve outros navegadores a pensarem soluções por uma navegação mais segura e leve. A atualização automática do Chrome, na versão 42, deve acontecer hoje para todos os usuários. [Via Wired, TheNextWeb, Google]


FECHAR